Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



.

 
Friedrich Nietzsche

A vantagem de ter péssima memória é divertir-se muitas vezes com as mesmas coisas boas como se fosse a primeira vez.

A vida vai ficando cada vez mais dura perto do topo.

As convicções são inimigas mais perigosas da verdade do que as mentiras.

É mais fácil lidar com uma má consciência do que com uma má reputação.

Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas.

O que não provoca minha morte faz com que eu fique mais forte.

Para a maioria, quão pequena é a porção de prazer que basta para fazer a vida agradável!

A vontade é impotente perante o que está para trás dela. Não poder destruir o tempo, nem a avidez transbordante do tempo, é a angústia mais solitária da vontade.

Logo que, numa inovação, nos mostram alguma coisa de antigo, ficamos sossegados.

Aquilo que se faz por amor está sempre além do bem e do mal. Temos a arte para não morrer da verdade.

Torna-te aquilo que és.

A moralidade é a melhor de todas as regras para orientar a humanidade. No matrimônio existem apenas obrigações e alguns direitos.

Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.

Quem, em prol da sua boa reputação, não se sacrificou já uma vez - a si próprio?

É pelas próprias virtudes que se é mais bem castigado.

Culpamos as pessoas das quais não gostamos pelas gentilezas que nos demonstram.

A vida mais doce é não pensar em nada.

As vivências terríveis fazem-nos pensar se o seu protagonista não é, ele próprio, algo de terrível.

Todos vós, que amais o trabalho desenfreado, o vosso labor é maldição e desejo de esquecerdes quem sois.

Logo que comunicamos os nossos conhecimentos, deixamos de gostar deles suficientemente.

Quem luta com monstros deve velar por que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro. E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti.

O atrativo do conhecimento seria pequeno se no caminho que a ele conduz não houvesse que vencer tanto pudor.

Há uma exuberância na bondade que parece ser maldade.

Ter-se vergonha da sua imoralidade: é um degrau na escada em cujo extremo se tem também vergonha da nossa moralidade.

O que o pai calou aparece na boca do filho, e muitas vezes descobri que o filho era o segredo revelado do pai.

Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te.

Não há outro critério da verdade senão o crescimento do sentimento de poder. Só se pode alcançar um grande êxito quando nos mantemos fiéis a nós mesmos.

É só dos sentidos que procede toda a autenticidade, toda a boa consciência, toda a evidência da verdade.

Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar.

Muitos são os obstinados que se empenham no caminho que escolheram, poucos os que se empenham no objetivo.

Não se odeia quando pouco se preza, odeia-se só o que está à nossa altura ou é superior a nós.

Em última análise, amam-se os nossos desejos, e não o objeto desses desejos. Querer a verdade é confessar-se incapaz de a criar.

Aquele que sabe mandar encontra sempre quem deva obedecer.

Não é a intensidade dos sentimentos elevados que faz os homens superiores, mas a sua duração.

Quando adestramos a nossa consciência, ela beija-nos ao mesmo tempo que nos morde.

Há uma inocência na mentira que é o sinal da boa fé numa causa.

Perdido seja para nós aquele dia em que não se dançou nem uma vez! E falsa seja para nós toda a verdade que não tenha sido acompanhada por uma risada!

Aquele que vive de combater um inimigo tem interesse em o deixar com vida.

Há uma inocência na admiração: é a daquele a quem ainda não passou pela cabeça que também ele poderia um dia ser admirado.

O homem que vê mal vê sempre menos do que aquilo que há para ver; o homem que ouve mal ouve sempre algo mais do que aquilo que há para ouvir.

O esforço dos filósofos tende a compreender o que os contemporâneos se contentam em viver.

Quando se amarra bem o próprio coração e se faz dele um prisioneiro, pode-se permitir ao próprio espírito muitas liberdades.

Quem não sabe encontrar o caminho para o “seu” ideal vive de um modo mais leviano e insolente que o homem sem ideal.

Perante nós mesmo todos fingimos ser mais ingênuos do que somos: é deste modo que descansamos dos nossos semelhantes.

Quem se despreza a si próprio não deixa mesmo assim de se respeitar como desprezador.

No elogio há mais impertinência do que na censura.

É verdade que se mente com a boca; mas a careta que se faz ao mesmo tempo diz, apesar de tudo, a verdade.

Quem só tem o espírito da história não compreendeu a lição da vida e tem sempre de retomá-la. É em ti mesmo que se coloca o enigma da existência: ninguém o pode resolver senão tu!

A vaidade dos outros só vai contra o nosso gosto quando vai contra a nossa vaidade.

É terrível morrer de sede no mar. Porque haveis então de salgar a vossa verdade de modo a que não mate já a sede?

Nos indivíduos, a loucura é algo raro. Mas nos grupos, nos partidos, nos povos, nas épocas, é regra.

O homem precisa daquilo que em si há de pior se pretende alcançar o que nele existe de melhor.

A grandeza do homem consiste em que ele é uma ponte e não um fim; o que nos pode agradar no homem é ele ser transição e queda.

Quem atinge o seu ideal, ultrapassa-o precisamente por isso.

Em homens duros a intimidade é questão de pudor - e algo de precioso. Odeio quem me rouba a solidão sem em troca me oferecer verdadeira companhia.

A esperança é o derradeiro mal; é o pior dos males, porquanto prolonga o tormento.

A recompensa final dos mortos é não morrer nunca mais.

Você vive hoje uma vida que gostaria de viver por toda a eternidade?

E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música.

Não há nada que deprima mais o ser humano (mais depressa) do que a paixão do ressentimento.

Muitas pessoas esperam a vida inteira pela oportunidade de serem boas à sua maneira.

Para ver muita coisa é preciso despregar os olhos de si mesmo.

Abençoados sejam os esquecidos, pois tiram maior proveito dos equívocos.

Eu jamais iria para a fogueira por uma opinião minha, afinal, não tenho certeza alguma. Porém, eu iria pelo direito de ter e mudar de opinião, quantas vezes eu quisesse. A exigência de ser amado é a maior das pretensões.

Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida.

Um amigo deve ser mestre tanto na arte de adivinhar como na de permanecer calado.

Nossa dor vem da distância entre aquilo que somos e o que idealizamos ser. Se quiser ser alguém, deve venerar a própria sombra.

A vítima esta sempre alheia ao mal. O fanatismo é a única forma de vontade que pode ser incutida nos fracos e nos tímidos.

Eu não sei o que quero ser, mas sei muito bem o que não quero me tornar.

O homem chega à sua maturidade quando encara a vida com a mesma seriedade que uma criança encara uma brincadeira.

Mesmo o mais forte tem seu momento de fatiga.

A essência da felicidade é não ter medo.

Em uma grande vitória, o que existe de melhor, é que ela tira do vencedor o receio de uma derrota.

Falar muito de si mesmo, pode ser um jeito de esconder aquilo que realmente é.

Homens convictos são prisioneiros.

Ser mau é tão insensato e autodestrutivo quanto ser bom.

Falsos valores e palavras ilusórias: são estes os piores monstros para os mortais; longamente e à espera, dorme neles a fatalidade.

Não existem fatos, apenas interpretações.

A principal mentira é a que contamos a nós mesmos.

Nenhum vencedor acredita no acaso. O que nós fazemos nunca é compreendido, mas somente louvado ou condenado.

Se queres ser feliz nesse mundo, estrangula sua consciência!

O homem perde o poder quando é contaminado pelo sentimento de piedade.

Nossos pensamentos são as sombras de nossos sentimentos, sempre mais obscuros, mais vazios, mais simples que estes.

O falso amor de si mesmo transforma a solidão em prisão.

Os maiores acontecimentos e pensamentos são os que mais tardiamente são compreendidos. Nada lhe pertence mais que seus sonhos.

O homem superior distingue-se do homem inferior pela intrepidez e desafio à infelicidade.

(Simão de Paula - NIETZSCHE, Seus Provérbios e Pensamentos)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:15



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D