Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O grande “O”

por Thynus, em 07.02.17
Muitas mulheres ficam surpresas quando lhes digo que uma grande porcentagem de homens têm inveja do orgasmo delas. Embora as mulheres normalmente tenham mais dificuldade no início para atingir o orgasmo (em especial, na primeira vez), assim que conseguem — bem, da perspectiva do homem, parece que o mundo está explodindo.

Considere aquela famosa cena do filme Harry e Sally – Feitos um para o outro, quando a atriz Meg Ryan finge ter um orgasmo numa lanchonete em Nova York, para o deleite de todos (especialmente para a senhora que diz, com toda franqueza: “Eu quero a mesma coisa que ela está comendo”). Se você estivesse passando por um quarto e ouvisse o que estava acontecendo, seria tentado a chamar a polícia!

Não me entenda mal: nós, homens, adoramos o clímax feminino. Aqueles poucos e intensos segundos valem todo o esforço feito para chegar ali. Mas, quando olhamos para nossa esposa, vemos que ela começa devagar e, então, aparentemente pega uma onda de prazer atrás da outra. Além do mais, quando enfim chega ao orgasmo, ela é capaz de continuar! A maioria de nós, homens — pelo menos aqueles de nós com mais de 30 — são nocauteados e ficam fora de ação por pelo menos meia hora (se não por um dia ou dois). Mas as mulheres têm a habilidade psicológica de ser como o coelho da Duracell: elas continuam, continuam, continuam...

Fisiologicamente, a única coisa que limita o número potencial de orgasmos de uma mulher em determinado encontro sexual é ela própria. Algumas acham que um é suficiente. Outras se cansam e ficam sem energia para buscar algo mais intenso. Mas o corpo da mulher pode continuar de uma maneira que o homem simplesmente não pode.

Entre as mulheres, os orgasmos múltiplos variam. Algumas parecem pegar uma onda de orgasmos, na qual um se sucede ao outro. Outras chegam ao clímax e, então, passam por um período refratário ou de descanso antes que se sintam prontas para gozar outra vez.

Elas também têm mais controle sobre seus orgasmos. O homem consegue controlar sua ejaculação antes de alcançar um determinado ponto, mas, fisiologicamente, ele acaba cruzando uma linha a partir da qual ele simplesmente não consegue controlar se o orgasmo vai acontecer ou não (razão pela qual os homens precisam identificar como se sentem antes de alcançar esse ponto sem volta). Tão logo o homem chegue a um determinado ponto, o orgasmo vai acontecer.

As mulheres, por outro lado, podem parar em praticamente qualquer ponto. Uma esposa pode estar surfando nas ondas de êxtase, a poucos segundos de cair no oceano do orgasmo, mas então escuta o bebê chorar ou pensa que ouviu o vizinho do lado de fora da janela e, de repente, está tão longe do orgasmo quanto a Austrália do Polo Norte. (Minha esposa Sande aderiu à regra do quilômetro. Ela está mentalmente pronta para o sexo, desde que ninguém esteja a menos de um quilômetro da cama sobre a qual o sexo ocorrerá.)

Outra diferença entre o orgasmo do homem e o da mulher se baseia na última experiência sexual. Digamos que um marido tenha estado longe por duas semanas numa longa viagem de negócios. O corpo da mulher pode entrar num tipo de hibernação lenta, no qual ela não está sexualmente ativa. Se já fizer algum tempo desde sua última experiência sexual, ela, em geral, precisará de mais tempo, não de menos, para estar pronta.

Em contrapartida, com o homem acontece exatamente o oposto. Se ele não faz sexo há duas semanas, pode estar a ponto de bala, a afamada “maravilha de trinta segundos”. Seu corpo estará a cem por hora antes mesmo que a esposa o toque. Apenas o pensamento de chegar em casa pode ser suficiente para provocar uma ereção, ao passo que a esposa provavelmente precisará ser “despertada” e conduzida de maneira um pouco mais lenta. Se o homem não tem um orgasmo há bastante tempo, será mais difícil para ele obter o controle ejaculatório. Ele provavelmente não precisará de nenhuma preliminar, enquanto sua esposa, ao contrário, precisará de uma preliminar mais longa.

O potencial para conflito é óbvio!



CHEGANDO LÁ

É bem provável que eu tenha uma visão um tanto tendenciosa, já que, por definição, as pessoas que me procuram, na maioria, o fazem porque têm problemas sérios o suficiente para justificar o pagamento a alguém para conversar sobre eles. Mas, com essa visão tendenciosa, descobri que um dos problemas sexuais mais presentes no casamento é o da mulher que tem dificuldades para alcançar o orgasmo.

O caso mais comum é o que tratei com Jéssica e Davi. Jéssica confessou que, mesmo depois de dez anos de casamento, chegar ao orgasmo era difícil.

— Tive alguns pequenos — disse ela, — mas foi só isso.

Tentei fazer o casal entender a importância de um vigoroso orgasmo feminino para ambos os parceiros.

— Jéssica — disse eu, — a primeira coisa que você precisa entender é que, da maneira como foi planejada por Deus, você tem a capacidade de ter um orgasmo capaz fazer o queixo de Davi encostar no chão. Você é como uma tigresa que saiu da jaula, e precisa trabalhar nessa direção.

Algumas mulheres esperam que o orgasmo surja do nada, sem qualquer trabalho da parte delas — mas as coisas não são assim para a maioria delas. Os homens são exatamente o oposto. Duvido que haja um homem vivo que não tenha chegado ao orgasmo pelo menos uma vez na vida. Ainda que seja celibatário e virgem, ele já teve uma polução noturna (ou doze). Além disso, não é difícil dizer se um homem chegou ou não ao orgasmo. Os sintomas físicos — sendo a ejaculação o principal deles — são bastante óbvios.

Na maioria dos casamentos, a principal preocupação do homem em relação ao orgasmo é adiá-lo até que a esposa esteja satisfeita. Chegar ao orgasmo normalmente não é o problema; a questão é prolongá-lo.

Muitas mulheres, em contrapartida, nunca chegaram ao orgasmo. Outras não sabem se chegaram ou não. A intensidade e a qualidade do orgasmo variam de mulher para mulher e, muitas vezes, é difícil dizer.

A melhor maneira de uma mulher saber se alcançou o orgasmo é perceber se, depois do sexo, se sente frustrada e “reprimida” ou relaxada e satisfeita. Um orgasmo leva a uma liberação em que as tensões acumuladas explodem e depois se dissipam. Um escritor chamou isso de “espirro pélvico”.[Cliford e Joyce Penner, Getting Your Sex Life off to a Great Start, p. 109]  Considero essa uma ótima descrição, pois todos nós já experimentamos o processo de formação de um bom espirro: o corpo inteiro parece se encolher até que, finalmente, vem o espirro e, em seguida, o alívio. Um orgasmo é assim. As carícias sexuais intensificam o prazer, mas também criam uma tensão sensível que exige ser satisfeita.

Se você enfrenta dificuldades para chegar ao orgasmo, apresento algumas sugestões.



1. Tenha o objetivo correto.

Permita-me ser direto: se o principal objetivo de sua atividade sexual é ter um orgasmo, você está no caminho errado. Existem muitos graus diferentes de prazer no sexo. Para alguns de nós, basta um arranhão nas costas e ficamos felizes; uma massagem com loção nos pés e ficamos satisfeitos. Se você for muito específico — com a obrigação de ter um orgasmo, ou, mais específico ainda, ter um orgasmo no exato instante em que seu cônjuge tem um também — só vai piorar as coisas.

O objetivo da sexualidade é expressar união e intimidade com seu parceiro. É uma resposta amorosa na direção de alguém com quem você está comprometido para a vida toda. Para aqueles que têm filhos ou que querem tê-los, é uma maneira de construir uma família.

O sexo é tão profundo, significativo e sério em tantos níveis que acabamos por barateá-lo quando o reduzimos a “Bem, você teve um orgasmo ou não?”. Essa linguagem pertence à Mansão Playboy, não ao leito conjugal.

Mesmo quando a mulher aprende a ter orgasmos, provavelmente não terá um todas as vezes que fizer sexo. Poucas mulheres experimentam o clímax em todo encontro sexual. Se é assim com você, então pode se considerar uma mulher de sorte, mas também integrante de uma pequena minoria. Às vezes uma mulher vai simplesmente satisfazer seu marido (outras vezes o marido pode satisfazer a esposa sem que ele mesmo tenha um orgasmo). O sexo conjugal apresenta todo tipo de situações nas quais o orgasmo não é possível ou é deixado de lado por diversas razões.



2. Ter orgasmo é uma habilidade aprendida.

Devo continuar sendo direto: descobri que muitas mulheres são preguiçosas em relação a essa área de sua vida. Elas presumem que é responsabilidade de seu marido proporcionar-lhes um orgasmo, ou acham que o clímax vai surgir misticamente numa determinada noite debaixo das cobertas. Sinto muito, querida — a não ser que você seja muito sortuda, isso não vai acontecer. Para um pequeno percentual de mulheres, os orgasmos ocorrem sem muito esforço. Para a maioria, porém, é preciso um pouco de experiência para gozar regularmente. Para algumas outras, isso requer muito trabalho e descoberta.
 
 
Pense da seguinte maneira: se você tricota, será que conseguiu fazer um trabalho elaborado na primeira vez que pegou uma agulha de tricô? É claro que não! Se joga golfe, será que conseguiu jogar a bola a duzentos metros logo da primeira vez em que pôs a mão no taco? Aposto que não!
Por que o sexo deveria ser diferente? É preciso tempo, experiência, conhecimento e prática para distinguir-se como boa amante.

Se você tem dificuldades para chegar ao orgasmo, a primeira coisa é não fazer o que várias revistas femininas recomendam: não imagine um outro amante ou um ex; não use pornografia ou filmes eróticos ou qualquer outra coisa que possa vulgarizar o relacionamento e o senso de intimidade com seu marido.

Em vez disso, procure conhecer a si mesma bem o suficiente para poder ajudar seu marido a descobrir o que a excita. Ainda que seu marido tenha tido experiência sexual antes do casamento, seu corpo é singular e exige uma abordagem única. Ajude-o a descobrir esse caminho.

Em outras palavras, você precisa fazer um pouco de exploração — tem de aprender o que a deixa ligada.



3. Tenha mais consciência de sua reação sexual.

Tome um banho longo e quente. Coloque algumas velas, produza-se um pouco e, então, sim, comece a tocar-se. Descubra o que é gostoso. O orgasmo não é o objetivo aqui, mas procure prestar atenção no que estimula o prazer e o desejo. Não tenha medo de explorar seus genitais. Descubra qual a melhor forma de manusear seu clitóris. Algumas mulheres preferem tocar-se de forma indireta, acariciando os lábios genitais ou alcançando o clitóris por cima em vez de diretamente; outras preferem o contato direto tão logo sua excitação atinja um determinado nível.[2]

Talvez seja necessário fazer isso diversas vezes até descobrir o caminho do seu corpo para o prazer sexual. Não se apresse e dê a si mesma bastante liberdade de movimento. Isso não é uma corrida, e ninguém está apontando o calendário acima da sua cama.

Algumas das minhas leitoras podem estar ficando com a face vermelha neste momento, pensando: “Dr. Leman, o senhor está pedindo que eu me masturbe?”.

Às vezes odeio essa palavra, simplesmente por causa das conotações que se associaram a ela. Quando o marido ou a esposa se autoestimula para alcançar o clímax e evitar intimidade com o cônjuge, ou para participar de pornografia ou algo assim, na minha visão, está agindo de maneira egoísta e destrutiva. Contudo, quando uma esposa está aprendendo a reagir sexualmente ao marido para que os dois possam desfrutar de uma experiência sexual mais profunda e mais rica, ela está trabalhando na direção de uma maior intimidade, não de menor. Do mesmo modo, um marido que esteja tentando aprender a controlar a ejaculação ou que esteja em uma longa viagem de negócios pode ocasionalmente usar a autoestimulação para fortalecer seu casamento em vez de enfraquecê-lo.

Portanto, sim, há momentos em que a masturbação é errada e viciante, e deve ser evitada. Há outros momentos, no entanto, em que familiarizar-se com seu corpo é um ato de generosidade, já que você está treinando para tornar-se um amante melhor para seu cônjuge. Você sabe se o que está fazendo é egoísta e provoca distanciamento de seu cônjuge, ou se é uma preparação para se aproximar ainda mais dele.

Muitas mulheres tiveram mães que se referiam à vagina como “lá embaixo”, como se elas mesmas não possuíssem um órgão genital ou simplesmente tivessem um buraco enorme e não mencionável. Se você está chegando ao casamento com esse tipo de bagagem, então com certeza se sentirá desconfortável em relação ao toque sexual. Mas pense da seguinte maneira: não é pecaminoso tocar seu tornozelo se você estiver na dúvida se o torceu; não é errado desfrutar da sensação agradável de pentear seu cabelo. Se você pode tocar todas as partes do seu corpo, por que não tocar as mais sensíveis?

Quando uma mulher se prepara para ter um bebê, normalmente pratica a respiração, a fim de que, quando chegar a hora do parto, ela seja capaz de encarar o desafio. Por que o sexo deveria ser diferente? Você está aprendendo como se preparar para o sexo ao aprender como chegar ao clímax.

Portanto, sim, deixe seus dedos caminharem pelas páginas amarelas! Diga a si mesma que isso é bom e certo. Seu Criador a planejou para dar e receber prazer sexual; a vergonha está em se contentar com algo menos que isso. Você quer ser uma boa amante para seu marido, e a melhor maneira para que isso aconteça é aprender a realmente desfrutar do sexo, o que significa aprender como ter um orgasmo. Esse é um presente maravilhoso, o melhor que você pode dar a um homem. Portanto, gaste todo o tempo de que necessite para alcançar esse objetivo!

Outra opção é pedir ao seu cônjuge que experimente com você uma sessão de toque “não relacional”. Ele pode deixar os dedos fazerem a caminhada, e vocês dois podem experimentar o que a agrada.



4. Pratique os exercícios Kegel.

Os exercícios Kegel (chamados assim por causa do médico ginecologista dr. Arnold Kegel, que os popularizou) são úteis tanto para homens como para mulheres, para melhorar o ato de fazer amor. Os exercícios destinam-se a ajudar a mulher a se tornar mais orgástica e o homem a retardar o orgasmo.

Os exercícios Kegel trabalham os músculos pubiococcígeos (também chamados de PC), os mesmos que interrompem o fluxo de urina. A primeira coisa que você precisa fazer é localizar os músculos PC. A maneira mais fácil é introduzir gentilmente um dedo em sua vagina e tentar “apertá-lo”. Os músculos que se contraem nesse movimento são os tais músculos PC. (Se preferir descobrir os músculos PC de outra maneira, tente interromper o fluxo de urina enquanto estiver sentada no vaso sanitário.)

Músculos PC bem desenvolvidos são recomendáveis por diversas razões. Eles não apenas têm o efeito de ajudar a diminuir a incontinência, como também podem acrescentar muito à sua vida sexual. Para as mulheres, esses músculos podem ser usados para contrair em torno do pênis, dando ao homem uma sensação de mais aperto. Essas contrações se tornam um tipo de massagem peniana, um prazer agradável ao seu marido. Elas também ajudam como parte de sua jornada para se tornar mais propensa ao orgasmo.

Assim que tiver localizado os músculos, comece contraindo-os e relaxando-os por apenas alguns segundos, dez vezes para começar, seguindo seu ritmo a partir daí. Assim que estiver mais acostumada a realizar essas contrações, você poderá exercitá-las enquanto estiver no carro, ao telefone ou em qualquer ocasião, sem que ninguém perceba. Pode ser bom estabelecer uma rotina, de modo que você se lembre de fazer os exercícios — por exemplo, durante a volta para casa ou assistindo a determinado programa na televisão.



5. Assuma a responsabilidade.

Um número muito grande de mulheres não assume a responsabilidade por seus próprios orgasmos. Elas precisam ser participantes ativas, não apenas receptoras dos avanços de seu marido. Se você quiser frustrar um homem, não lhe diga nada. Deixe-o continuar a lançar dardos no escuro, na esperança de que tenha sorte.

Com o cuidado de não passar a menor impressão de condenação ou acusação, converse com seu marido o mais que puder, sendo encorajadora ao fazer isso. Diga-lhe o que é gostoso. Se achar que ele está chegando perto, mas ainda errando o alvo, pegue gentilmente a mão dele e diga: “Bem aqui, querido, oh, sim, agora você achou...”. Quem sabe quantas grandes sinfonias são criadas com o dedo indicador do marido? Mas aqui está o desafio: cada mulher é diferente, então, ajude seu marido a encontrar seus pontos favoritos.



6. Lembre-se de que o sexo tem mais a ver com relacionamento do que com técnicas.

Se você enfrenta dificuldades para ser sexualmente responsiva, o problema pode não ser se está sendo tocada no lugar certo ou não, se seu marido tem as habilidades sexuais necessárias ou qualquer outra coisa que aconteça debaixo das cobertas. Pode ser que você esteja lidando com algumas questões não resolvidas — talvez um abuso sexual no passado, talvez uma conversa dolorosa ocorrida dois dias antes, que a impeça de abrir-se ao prazer com seu marido.

Não significa que essa conversa tenha sido com seu cônjuge. Pode ser que você tenha se aborrecido com sua sogra; talvez alguém tenha criticado sua forma de criar os filhos ou fez alguma outra coisa que a deixou com um sentimento de inadequação. Você é uma pessoa, inteira, completa e complexa. O sexo às vezes faz brotar o que há de mais dolorido dentro de nós, e feridas podem se manifestar através da maneira como reagimos sexualmente.

Pode ser que seu quarto não seja um ambiente seguro o suficiente para você; talvez você se preocupe que as crianças entrem ou ouçam sua reação. Quem sabe apenas ouvir a descarga de um vaso sanitário seja o bastante para esfriá-la.

Se esse for o caso, pense na possibilidade de sair por algum tempo. Esbanje um pouco e vá a um hotel, onde ninguém importante para você poderá ouvir ou ver o que está acontecendo, e onde ninguém entrará pela porta do quarto.

Em outras palavras, olhe para o seu relacionamento de maneira holística. Seu casamento é muito mais do que ter orgasmos ou não.

A maneira de ver o sexo indica uma grande diferença entre homens e mulheres. Muitos homens o consideram um grande apagador. Para eles, se o carro está quebrado, tudo o que precisam fazer é ter sexo e tudo mais ficará melhor (ainda que o carro continue sem funcionar). Teve uma briga com a esposa? Faça sexo e tudo ficará bem (ainda que nunca fale sobre os problemas). O homem geralmente não precisa conversar sobre o fato de sua esposa estar brava com ele por não ter aparado a grama. Para a mente masculina, “uma vez que tenhamos feito sexo, tudo ficará bem”.

A mulher não funciona desse jeito. Para ela, os problemas apagam o sexo; o sexo não apaga os problemas. Se a esposa estiver chateada com o marido, pode se fechar sexualmente: “Que história é essa de problema resolvido? Ainda nem sequer conversamos sobre isso!”. Se ela estiver preocupada se haverá dinheiro suficiente para pagar a prestação da casa daqui a três dias, pode perder todo o desejo sexual.

Se você tem dificuldades para atingir o orgasmo, olhe para o relacionamento como um todo e, depois, olhe para sua vida inteira. Existem outras questões que a estejam perturbando?



7. Homem, não deixe de apoiar.

Marido: na maioria das vezes, devagar, de leve e macio é a chave. (Naturalmente, chega um ponto em que sua esposa não estará interessada no macio. De repente, ela se torna Jane, a bárbara, e poderá querer toda a energia que Tarzan puder reunir!) Mas, de modo geral, você precisa criar um ambiente relaxante para sua esposa, não se concentrando com muita intensidade no orgasmo: “E então, querida? Gozou?”. Ei, meu amigo, se você precisar perguntar é porque ela não teve um orgasmo! Ajude sua mulher a se sentir bem, mas não a pressione.

Também ajuda se sua esposa souber que você está gostando. Ela pode se fechar se achar que você está entediado ou impaciente. E se isso for verdade, sendo bem franco, você está sendo cruel. Já vi homens gastando horas para fazer um motor ronronar feito um gatinho, mas que parecem se ressentir do fato de que sua mulher precise de trinta ou quarenta minutos de preliminares para se aquecer adequadamente. Sua atitude deve ser: leve o tempo que levar.

Além disso, você é beneficiado por ajudar sua esposa a sentir prazer. Já disse isso antes e vou repetir: para mim, a melhor parte do sexo é saber que estou dando prazer à minha esposa. Às vezes acho que gosto dos orgasmos dela mais do que ela própria! Empenhar tempo e esforço para ajudar sua esposa a chegar lá é algo que vale a pena.

Você precisará se familiarizar com a linguagem de amor de sua esposa para saber o que a ajudará a reagir sexualmente. Se as palavras de afirmação são o que a motivam, diga frases doces, mas provocantes: “Querida, você está tão sexy. Você está tão molhada. Que corpo você tem!”. Algumas mulheres talvez não gostem desse tipo de conversa; outras adoram. Você precisa conhecer sua esposa, e isso significa tornar-se mais comunicativo.
Mais orgasmos, mais relações
 
Agora que conversamos sobre ajudar a esposa a acelerar, vamos falar sobre ajudar o homem a ir mais devagar.



ATRASANDO O ORGASMO (EJACULAÇÃO PRECOCE)

Certa vez, no início do nosso casamento, Sande me deixou mais excitado do que nunca. Ela me parecia boa demais para ser verdade, e lembro-me de pensar: “Que foi que eu fiz para merecer uma mulher tão linda?”. O fato de que ela estava excitada, de que me queria, era o maior fator de excitação que eu podia imaginar. Eu estava pronto para lhe dar meu amor durante a noite inteira. Planejei nos envolvermos em horas de jogos prazerosos, escalando as alturas do êxtase até que a luz da manhã nos forçasse a parar.

E assim começaram os trinta segundos mais intensos da minha vida.

Tudo bem, podem ter sido uns 120 segundos, mas, ainda assim, parei algumas horas antes da meia-noite, para minha decepção.

Isso acaba acontecendo com todo homem. Ejacular antes do desejado é um dos problemas mais comuns entre os homens (isso e a impotência).

É importante que as mulheres entendam isso (portanto, marido, se sua esposa pular esta seção e lhe entregar o livro de volta, devolva-o!). Uma ignorância básica sobre a fisiologia masculina, sobre a excitação feminina e sobre o orgasmo pode levar a diversas acusações. Pelo fato de as mulheres conseguirem controlar seus orgasmos e de poderem parar praticamente a qualquer momento, elas às vezes presumem que o mesmo acontece com os homens. Quando uma mulher pede ao marido para esperar e ele tenta, mas a ansiedade produz exatamente a resposta contrária, bem, às vezes ela leva a questão para o lado pessoal, como se o marido estivesse sendo egoísta de propósito.

Em certos casos, suponho que alguns homens sejam egoístas — na maioria das vezes, porém, a ejaculação precoce tem mais a ver com a falta de habilidade de controlar a ejaculação do que com o egoísmo. Assim que o homem alcança o “ponto sem volta”, o orgasmo acontecerá em questão de segundos, e não há nada que ele possa fazer para impedir.

Quase todo homem enfrenta esse problema uma vez ou outra. Particularmente se ele não faz sexo há algum tempo, pode ser difícil manter o controle ejaculatório. Mas uma incapacidade persistente e constante de controlar o orgasmo (o que significa que não pode escolher quando vai gozar e, com mais frequência do que o contrário, atinge o clímax antes do que deseja) é um problema que, na maioria dos casos, pode ser resolvido.

O que exatamente é um orgasmo prematuro? Masters e Johnson descobriram que o homem comum ejacula depois de dois minutos de movimentos vigorosos. A maioria consegue adiar isso ao mudar o ritmo e a profundidade de seus movimentos, mas se você vai com tudo e acaba ejaculando dentro desses dois minutos, isso não é precoce, é a média. O problema é que poucas mulheres estarão suficientemente estimuladas depois de 120 segundos de movimentos! (Este é outro bom argumento para ajudar as mulheres a alcançar o orgasmo durante as preliminares; a imensa maioria delas chega ao clímax por meio da estimulação do clitóris, não da penetração.)

Penso que o melhor indicador da ejaculação precoce seja este: Você é capaz de escolher quando deseja ter o orgasmo, ou é mais comum que chegue ao clímax antes do que gostaria? Se, via de regra, você chega ao clímax poucos segundos depois de penetrar sua esposa, a tendência é que tenha ejaculação precoce.

Esposa, por favor, seja sensível quanto a isso. Sei que você nem sequer imagina gritar, gemer e cair num orgasmo tão logo seu marido penetre em seu corpo, mas não é assim tão incomum para um homem às vezes ejacular assim que ocorre a penetração. Do mesmo modo que o homem precisa ser paciente com a mulher que aparentemente leva uma eternidade para chegar ao orgasmo, a mulher precisa ser paciente com o homem que chega lá cedo demais.

Os terapeutas desenvolveram três métodos de aprendizado para aumentar o controle ejaculatório (e nenhum deles é agradável!). Se fizermos uma votação entre os homens de todo o país, esta seria uma seção que eles prefeririam ter fora deste livro. Alguns infelizmente têm a atitude de dizer: “Então, não aguentei. Você me deixou maluco. Não consegui parar! Qual é o grande problema?”.

Não é um grande problema se isso acontecer de vez em quando. Isso se torna um grande problema se acontecer com muita frequência.

Homens com essa atitude indiferente estão sendo tão egoístas quanto as mulheres que não fazem nada para se tornarem mais orgásticas. Não use seu casamento ou o compromisso de sua esposa como uma desculpa para se tornar um amante preguiçoso; use isso como motivação para tornar-se um expert na cama.

Como precursora das terapias mostradas a seguir, comece a exercitar seus músculos PC com os exercícios Kegel. Para encontrar seus músculos PC, contraia a região como se fosse conter o fluxo de urina. Esses são os músculos que você deve trabalhar, e fazer isso melhorará seu controle ejaculatório.

Duas ou três vezes ao dia, contraia os músculos PC de dez a vinte vezes. Não use seus músculos abdominais — o erro mais comum ao fazer esse exercício. Em vez disso, certifique-se de que está contraindo os músculos pélvicos. Depois de algumas contrações, respire fundo e segure a respiração por cerca de três segundos.

Esses exercícios são simples e podem ser feitos no carro, enquanto assiste à televisão ou sentado à sua mesa — e ninguém perceberá. O tempo requerido também é mínimo — menos de cinco minutos por dia. Tenha em mente que você talvez tenha de fazer esses exercícios por duas semanas ou mais antes de perceber alguma mudança significativa.



1. Start-stop.

O primeiro método para tratar a ejaculação precoce é chamado de start-stop [começa-para]. Existem inúmeras descrições dele por aí, mas o método passo a passo mais amplo está no livro do dr. Bernie Zilbergeld intitulado The New Male Sexuality [A nova sexualidade masculina]. Embora eu não concorde com tudo o que o dr. Zilbergeld ensina em relação à sexualidade, seu trabalho sobre esse método é bastante amplo e fácil de ser seguido. Apresento aqui uma versão bastante abreviada; se ela não funcionar para você, talvez seja interessante consultar o livro do dr. Zilbergeld.

O marido dá início ao método start-stop ciente de que passará por diversos estágios. Ele iniciará diversas práticas sozinho e trabalhará no sentido de realmente brincar de amor com sua esposa. O objetivo é alcançar quinze minutos de estimulação sem ejacular.

Começando sozinho, o marido deve estimular-se até que esteja excitado, concentrando-se em tomar cada vez mais consciência da mecânica de seu corpo. Não use pornografia ou fantasias impróprias durante essa fase; encher sua mente com tais poluentes apenas prejudicará seu casamento. Sua meta é tornar-se um amante melhor para sua esposa.

Todo homem tem um “ponto sem volta”, quando os músculos ao redor do pênis começam a se mover e a ejaculação é certa. Você deve estimular a si mesmo, mas parar um pouco antes do ponto sem volta. Assim que sentir que está chegando perto demais, pare toda estimulação e espere até a sensação passar. Então, comece de novo.

Homens mais jovens talvez precisem parar por mais tempo que os mais velhos, mas, repetindo, o objetivo é receber quinze minutos de estimulação sem a necessidade de ejacular. Se você não conseguir parar a tempo, simplesmente descarte essa experiência e tente novamente um dia ou dois depois.

Esses exercícios podem ser realizados três vezes por semana. Assim que você alcançar um determinado nível de controle — ou seja, quando conseguir suportar estimulação quase constante (mas variada em intensidade) por pelo menos quinze minutos — então poderá começar a envolver-se num erótico jogo de “começar e parar” com sua esposa. Você precisará da compreensão e da cooperação dela.

Assim que você estiver excitado e sua esposa estiver pronta, penetre-a bem devagar, mas ela deve ficar parada. Espere até se sentir confortável dentro da vagina sem precisar alcançar o clímax. Então comece a mover-se lentamente para dentro e para fora. Se sentir a necessidade de ejacular, pare todo movimento. Essa pode não ser uma experiência agradável para sua esposa — ela precisará ser uma parceira disposta e dócil, esperando pelo período em que você tiver alcançado um melhor controle (e ela será imensamente beneficiada). Isso é, na verdade, mais um “treino” do que uma relação de fato.

Mais uma vez, você deve permanecer dentro da vagina de sua esposa por quinze minutos sem ejacular. Podem ser necessárias várias vezes até que aguente todo esse tempo, mas trabalhe nisso. Com o tempo, você obterá uma melhor compreensão daquilo que o leva imediatamente ao clímax, assim como a maneira de variar seus impulsos e conter seus movimentos, de modo que possa segurar quanto quiser.

As duas técnicas a seguir podem ser usadas em conjunto com o método start-stop.



2. O método do aperto.

O segundo exercício é a técnica do aperto, que pode ser usada em conjunto com o método start-stop. Quando o marido sente que a ejaculação está se aproximando, ele tira o pênis da vagina de sua esposa, ela pega o pênis com o polegar, o indicador e o dedo médio. O polegar deve estar do lado de baixo do corpo do pênis e seus outros dedos devem estar logo abaixo da cabeça do pênis (se for mais confortável para ela colocar o polegar na parte de cima e os outros dedos na parte de baixo, não há problema). Ela deve então apertar gentilmente, mas com firmeza (e de maneira constante) por vários segundos. Na maioria dos casos, isso impedirá que o homem prossiga para uma ejaculação inevitável. O casal pode começar a ter a relação novamente e repetir o aperto sempre que necessário.

Esse método normalmente falha quando o homem espera tempo demais para pedir à esposa que aplique a técnica. Mais uma vez, tudo se resume ao homem aprender a entender seu corpo e suas reações sexuais.



3. Puxar o escroto.

Existem relatos variados sobre o sucesso desse método, mas ele é mais fácil de ser aplicado do que a técnica do aperto, e alguns casais o consideram igualmente bem-sucedido. Quando o marido sente que o orgasmo está próximo (mas antes que a ejaculação seja inevitável), deve pedir à esposa que intervenha. Ela alcança e segura (muito gentilmente) o escroto em sua mão. Sem apertar os testículos (o que seria doloroso), ela puxa o escroto para baixo, para longe do corpo do marido, e o mantém nessa posição por alguns segundos. Assim que a excitação do homem diminuir, o casal pode retomar a relação sexual.



FAZENDO ESFORÇO

Experimente e descubra qual método (ou métodos) funciona melhor para vocês, mas lembrem-se: não há razão para se contentarem com menos que o melhor. Mulheres podem aprender a ter orgasmos e homens podem aprender a retardá-los. Pode exigir um pouco de trabalho, mas a taxa de sucesso é bastante alta.

Uma vez que a tendência dos homens é ter ejaculação precoce, gosto de dizer-lhes que o pênis é a última coisa que eles deveriam usar para fazer amor. Por que fazer amor com seu pênis se há tantas outras coisas para usar?

“O que o senhor quer dizer, dr. Leman?”

Bem, você tem lábios, língua, pés, mãos, dedos, joelhos e cotovelos, respiração, dentes — e muitas outras partes, se for apenas um pouco criativo. Quando saca imediatamente aquela grande pistola, você está em dificuldades, porque assim que a coisa começa, é como uma carreta descendo a ladeira — sem acostamento!

Quando usa tudo o que tem para dar prazer a sua esposa, e até mesmo para ajudá-la a alcançar o orgasmo antes de penetrá-la, ela provavelmente não se importará com a velocidade com que você vem. Mas quando você se concentra apenas no seu pênis, e este não corresponde, ela ficará muito insatisfeita — e com razão.

Como um esforço de última hora para uma noite especial, alguns homens podem lançar mão da autoestimulação na manhã de um grande “encontro”. Se você está sempre tendo problemas ao ficar muito excitado rápido demais, então algo tão básico quanto a masturbação na manhã daquela noite com sua esposa pode ajudar. Você não deve usar a masturbação para substituir o sexo com sua esposa — isso é alienante e destrutivo. Mas se você a estiver usando como uma preparação para dar mais prazer a ela, creio que é aceitável, e às vezes sábio.

Esposas que querem ajudar o marido em relação a isso também podem ser criativas. Se você costuma ficar frustrada com a rapidez que seu marido chega lá, planeje uma noite especial, mas, na manhã do encontro, acorde-o cinco minutos antes da hora com um rápido “trabalho manual”. Então, estabeleça o clima dizendo: “Isso é apenas uma amostra do que vai acontecer hoje à noite, garotão!”. Não são muitos os homens que vão reclamar que a esposa deseje que eles tenham dois orgasmos num só dia! Preparar seu marido com essa primeira ação pode ajudá-lo a aguentar mais — e, enfim, agradá-la mais — no final daquela noite. E trabalhos manuais rápidos não exigem assim tanto esforço.



CANTANDO JUNTOS

Afirmei isto no início deste capítulo e afirmo de novo no final: a maioria dos homens tem muito mais prazer vendo sua esposa chegar ao orgasmo do que experimentando os seus. O orgasmo de um homem, em geral, perde a importância em comparação com o experimentado por sua esposa.

Por essa razão, não dedico muito esforço ou preocupação em relação àquilo que as pessoas chamam de orgasmos simultâneos. Sim, ele acontece às vezes, e pode ser uma ótima diversão para ambos estarem no êxtase sexual exatamente ao mesmo tempo — mas, mesmo quando isso ocorre, francamente, sinto que estou perdendo alguma coisa. Fico tão envolvido com o que estou experimentando que não consigo contemplar todo o prazer de Sande. E, uma vez que sou muito ligado nela, isso parece de fato uma perda.

Meu conselho é: não pensem muito e nem se preocupem em alcançar orgasmos simultâneos. Agradem um ao outro do jeito que vocês sabem que a outra pessoa deseja ser agradada, e desfrutem plenamente de seus orgasmos.

Mas lembre-se, marido: cavalheiros terminam por último! Não precisamos de muito tempo. Dez ou quinze minutos, se tanto, serão suficientes. Mas um amante verdadeiro levará sua esposa até lá primeiro, e se ele achar que ela deseja, se oferecerá para dar-lhe alguns crescendos a mais. Fazer amor dessa maneira é como o zagueiro que analisa a defesa: você precisa reagir imediatamente àquilo que vê. Se ela estiver em intenso prazer e desejar que você a penetre e você não o fizer, ela ficará brava. Em contrapartida, se ela estiver gostando da maneira como você acaricia seu clitóris e estiver perto do clímax, mas você parar de penetrá-la, ela pode ficar frustrada com isso.

Você não encontrará a chave para essas situações em um livro, porque sua esposa é absolutamente singular em seus desejos e prazeres sexuais. Além disso, ela muda com o passar do tempo. Sua esposa na terça-feira não é igual a sua esposa no sábado. E sua esposa num sábado de janeiro não será igual a sua esposa num sábado de junho. Seja criativo, flexível e aprenda a se tornar um especialista em fazê-la se sentir bem por inteiro.

Agora tire esse sorriso do rosto e comece a trabalhar! (Que tal isso como um pouco de lição de casa?!)

(Kevin Leman - Entre Lençóis) 
"Seleção natural"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:31



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D