Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 
Somente as pessoas pintam, somente as pessoas planejam expedições até as
extremidades mais fundas de cavernas úmidas e escuras em cerimônias. Somente as
pessoas enterram os seus mortos com pompa. A procura pelo ancestral histórico do
homem é a procura pelo contador de histórias e pelo artista

(Margulis e Sagan)

Como afirmou Lévi-Strauss, o encontro dos sexos é o terreno em que natureza
e cultura se deparam um com o outro pela primeira vez. É, além disso,
o ponto de partida, a origem de toda cultura. O sexo
foi o primeiro ingrediente de que o homo sapiens foi naturalmente dotado sobre o
qual foram talhadas distinções artificiais, convencionais e arbitrárias — a
atividade básica de toda cultura (em particular, o ato fundador
da cultura, a proibição do incesto: a divisão das fêmeas em
categorias disponíveis e indisponíveis para a coabitação sexual).
(Zygmunt Bauman -  AMOR LÍQUIDO)

Não importa muito se as predileções sexuais (articuladas como "identidade sexual")
são "dons da natureza" ou "construtos culturais". O que realmente importa é se
cabe ao homo sexualis determinar (descobrir ou inventar) qual (ou quais)
das múltiplas identidades sexuais melhor se ajusta a ele ou ela,
ou se, tal como o homo sapiens no caso da "comunidade de nascimento",
ele ou ela está destinado(a) a abraçar esse destino e viver sua vida de uma forma
que transforme uma sina inalterável numa vocação pessoal.
(Zygmunt Bauman -  AMOR LÍQUIDO)

A idéia mais absurda que o Homo sapiens já concebeu é que o Senhor Deus
da Criação, Modelador e Soberano de todos os Universos, deseje a adoração
açucarada de Suas criaturas, possa ser influenciado por suas preces e se torne
petulante se não receber esta bajulação. No entanto esta fantasia absurda, sem
uma sombra de prova para ampará-la, paga todas as despesas da mais antiga,
maior e menos produtiva indústria de toda a história.
A segunda idéia mais absurda é a de a cópula ser intrinsecamente pecaminosa.

(Robert A. Heinlein - AMOR SEM LIMITES)

Os animais podem ser levados à loucura colocando-se todos juntos num
recinto pequeno demais. O homo sapiens é o único animal que faz isso voluntariamente
consigo mesmo.

(Robert A. Heinlein - AMOR SEM LIMITES)

Nós, homo sapiens, nos vemos como entidades intelectuais
e pensantes. Temos a nossa capacidade
de raciocinar logicamente e de viver
em uma sociedade civilizada como uma das
maiores conquistas evolucionais. Mas lá estava
uma consagrada e premiada escritora de

reconhecimento internacional, com as pernas
arreganhadas para um homem que lhe
espancava os seios e a chamava de puta. E
ela estava amando cada segundo.

(JULIANNA COSTA)

Existem atualmente cento e noventa e três espécies de macacos e símios. Cento e noventa e duas delas têm o corpo coberto de pêlos. A única exceção é um símio pelado que a si próprio se cognominou Homo sapiens. Esta insólita e próspera espécie passa grande parte do tempo a examinar as suas mais elevadas motivações, enquanto se aplica diligentemente a ignorar as motivações fundamentais. O bicho-homem orgulha-se de possuir o maior cérebro dentre todos os primatas, mas tenta esconder que tem igualmente o maior pênis, preferindo atribuir erradamente tal honra ao poderoso gorila. Trata-se de um símio com enormes qualidades vocais, agudo sentido de exploração e grande tendência a procriar, e já é mais do que tempo de examinarmos o seu comportamento básico.
(Desmond Morris - O MACACO NU)
 
O Homo sapiens já estava por aqui mais ou menos desde 70.000 a.C. Mas por volta de 30.000 a.C., graças a um pouco da sobrevivência darwiniana do mais apto e ao estranho extermínio dos seus rivais evolucionários, o Homo sapiens se tornou o rei do pedaço. A partir do seu domicílio na Europa, ele se espalhou pelo mundo inteiro, inclusive pelas Américas e pela Austrália, onde gradualmente regrediu para o Homo erectus, situação que permanece até hoje.
Uma das razões pelas quais sabemos tanto a respeito do homem de Cro-Magnon é o fato de ele gostar muito de rabiscar nas paredes, uma nobre arte hoje conhecida como vandalismo. Exibindo níveis de delinquência que deixam envergonhados os nossos jovens modernos, esses homens e mulheres avançados rastejavam pelo interior sombrio das cavernas e então, em acessos insanos de criminalidade, desenhavam nas paredes inteiras com uma tinta que ainda hoje os arqueólogos têm dificuldade para remover.
Em matéria de roupas, eles se vestiam com o que havia de mais fashion, o que nos tempos do Cro-Magnon significava apenas uma coisa: couro. As mulheres mais vaidosas começaram a usar os mais diferentes tipos de roupas de couro, presas com pedaços de corda.(Pense em Raquel Welch no filme A Terra que o Tempo Esqueceu.) Nesse meio-tempo, com uma era do gelo rolando, os casais tinham de passar meses e meses entocados nas cavernas. Esses eram de fato Homens Sábios.

(DAVE REAR - HISTÓRIA DO MUNDO SEM AS PARTES CHATAS)
MODA CRO-MAGNON – PEÇAS DE COURO
MINÚSCULAS, PRESAS COM PEDAÇOS DE
CORDA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:42



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D