Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DESIGN AROUND YOU

por Thynus, em 25.11.14
Há alguns anos, a marca Volvo lançou uma campanha internacional cuja assinatura era design around you. A primeira ideia comercial era que a marca projetaria o carro levando em conta as necessidades de cada consumidor, o que, obviamente, é impossível. Mas a segunda ideia, mais psicológica, e mais importante para entender o lugar das marcas como agentes de sentido no mundo contemporâneo, era a de que você não está só porque a Volvo está ao seu lado na hora de fazer seu carro. Se é uma inverdade que o carro será taylor made, é uma verdade evidente em nosso mundo que estamos cada vez mais sós, mesmo que cercados de amigos no Facebook, de fotos por toda parte e de celulares que falam conosco o tempo todo.
É essa solidão essencial que a marca tem em mente, mesmo que não saiba, quando cria uma assinatura como essa. Somos seres cada vez mais ilhados e com carência, não só de vínculos, mas de desejo de vínculos, o que é muito pior. É uma ironia máxima o fato de a cultura do desejo ser justamente a que matou o desejo. Nesse sentido, a parceria de uma marca é essencial, inclusive porque entrega um “uso de parceria” muito mais seguro do que o “uso” que as pessoas entregam com suas ambivalências e traições. Pode-se confiar muito mais no serviço de assistência técnica e de pós-venda da Volvo, com suas meninas lindas e doces ao portador, do que nas incertezas de uma relação afetiva com pessoas, além do fato óbvio de que um carro de boa marca é muito mais seguro (no caso da Volvo isso ainda é mais evidente) do que o casamento ou ter filhos.
Por isso, aquilo que se chama branding em breve será um ramo da ontologia, ou seja, a disciplina na Filosofia que trata do essencial, e não do acidente. As marcas, portanto, deverão cumprir cada vez mais o papel de dizer o que é essencial como valor (e fazer esse valor valer, uma vez que seus produtos são confiáveis naquilo que ela diz representar) e separar o joio do trigo na vida dos contemporâneos desesperados por sentido que não os prenda em vínculos incertos e dolorosos. Do design around you migraremos logo para meaning around you, e, quando chegarmos lá, teremos adentrado o terreno do pós-humano e do pós-materialismo, tendo em vista que o materialismo representado por produtos do capitalismo estará ensaiando sua nova vida como doador de sentido para o cotidiano, espaço por excelência no qual os sentidos da vida se dissolvem.

(Luiz Felipe de Cerqueira e Silva Pondé - A era do ressentimento)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:54


Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

subscrever feeds