Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Deleites orais

por Thynus, em 07.02.17
Por alguma razão, os apresentadores de programas de entrevistas estão sempre interessados em ter um psicólogo falando sobre um assunto banal. Certo dia, eu estava assistindo a um desses programas do qual participavam três colegas cristãos “especialistas”. Um desses convidados, infelizmente, parecia mais ansioso para discutir o que um casal não poderia ou não deveria fazer do que para falar sobre a grande liberdade e alegria que Deus planejou para todo casal casado. Ele denunciou em alto e bom som o sexo oral — até mesmo entre os casados. Naturalmente, ele não tinha um versículo bíblico sobre o qual se apoiar, mas, do jeito que falava, parecia que estava olhando o rosto do anticristo!

Meu bom amigo Charlie Shedd, a quem admiro há anos, inclinou-se e disse: “Não critique antes de experimentar!”.

O rosto da “autoridade” ficou pálido, e não pude deixar de dar risada. Muito bem, Charlie!

Se Deus me desse uma varinha mágica que eu pudesse agitar sobre todos os casais, gostaria de uma que instantaneamente desse autocontrole e moderação aos casais não casados (Cabum! Seus zíperes estão travados até o dia do casamento!) e que, do mesmo modo, desse maior liberdade e senso de exploração aos casais casados (bem, bem, bem — veja o que temos aqui!). Realmente acho que as pessoas casadas precisam da atitude citada por meu dermatologista. Tive alguns “sustos” relacionados ao câncer de pele, de modo que o doutor deu uma tarefa a mim e a Sande: “A cada seis meses, você e Sande precisam explorar o corpo inteiro um do outro”. Ele se referia a procurar por verrugas que mudam de cor e assim por diante, mas então acrescentou com um olhar maroto: “Vocês podem transformar isso em algo bem divertido, não é?”.

Pode apostar que sim!

No passado, o sexo oral era olhado com desprezo. De fato, muitos estados norte-americanos ainda têm leis registradas que proíbem esse tipo de atividade. Na minha visão, são restrições ultrapassadas. Consideremos, em vez disso, a poesia bela e quase despreocupada apresentada na Bíblia. Sim, isto é poesia, mas ela demonstra um casal se entregando plenamente um ao outro:



O seu fruto é doce ao meu paladar.
(Cântico dos Cânticos 2.3)

Que o meu amado entre em seu jardim e saboreie os seus deliciosos frutos.
(Cântico dos Cânticos 4.16)

Entrei em meu jardim, minha irmã, minha noiva; ajuntei a minha mirra com as minhas especiarias. Comi o meu favo e o meu mel; bebi o meu vinho e o meu leite. Comam, amigos, bebam quanto puderem, ó amados!
(Cântico dos Cânticos 5.1)

O meu amado desceu ao seu jardim, aos canteiros de especiarias, para descansar e colher lírios. Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu; ele descansa entre os lírios.
(Cântico dos Cânticos 6.2-3)

Seu umbigo é uma taça redonda onde nunca falta o vinho de boa mistura.
(Cântico dos Cânticos 7.2)

Eu lhe daria vinho aromatizado para beber, o néctar das minhas romãs.
(Cântico dos Cânticos 8.2)


Muitos estudiosos acreditam que algumas dessas passagens se referem diretamente ao sexo oral, isto é, estimular os genitais do parceiro com a boca. Mas, ainda que não tratem disso, elas certamente falam de uma entrega amorosa e de uma liberdade para expressar a paixão de formas criativas e excitantes. De fato, a Bíblia não diz se o sexo oral entre o casal casado é imoral — o que, para a maioria dos estudiosos da Bíblia, significa que não há problema com a prática. Se Deus estivesse tão preocupado em relação a isso, diz o raciocínio, com certeza o teria proibido.

Pense nisto: se não há problema em beijar alguém nos lábios (e não conheço ninguém que, com base em algum fundamento moral, se oponha a isso), por que um beijo em qualquer outro lugar seria “imoral”? Então o homem não pode beijar os seios de uma mulher? E os dedos do pé, a parte detrás do joelho ou outras partes do corpo conhecidas por serem, em algumas pessoas, sensíveis à estimulação oral? Onde se deve traçar a linha arbitrária?

Certamente não é uma questão de higiene. Falando de maneira bem direta, quando uma mulher beija o pênis recém-lavado de um homem, sua boca tem muito mais germes do que o pênis. Se você estiver realmente preocupado com higiene, esqueça o beijo na boca e vá direto ao sexo oral!

Dito isso, nenhum parceiro deve ser compelido a fazer alguma coisa que considere desagradável ou imoral — embora poucos líderes cristãos hoje em dia sugeririam que há algo biblicamente errado com o sexo oral. E a parte desagradável normalmente pode ser superada se ambos os parceiros cuidarem da higiene antes de ir para a cama.

Como psicólogo, também estou bem ciente de que pessoas mais velhas tendem a ver o sexo oral como “tabu”. Com base em minha pesquisa pessoal e na prática de mais de trinta anos de aconselhamento, praticamente todos os casais mais jovens (na casa dos 20 ou 30 anos, casados ou solteiros) fazem sexo oral tanto quanto praticam o ato sexual em si, uma vez que é um “sexo mais seguro”, enquanto que casais mais velhos (dos 40 em diante) tendem a praticar o sexo oral com muito menos frequência, se é que o fazem.

A ironia disso é que quanto mais velho fica o homem, mais ele precisa de estimulação! O sexo oral se encaixa perfeitamente nessa necessidade. Outra grande vantagem do sexo oral para casais mais velhos é que ele não impõe sobre o homem a pressão sobre sua capacidade de ter ou manter uma ereção. Se o homem sabe que é capaz de dar prazer a sua parceira independentemente da ereção, ele se preocupará muito menos em ter ereção (o que, ironicamente, aumenta a probabilidade de que ele venha a ter uma).

Se o sexo oral é algo que vocês não tentaram no passado, deveriam considerar a ideia de acrescentá-lo ao cardápio desta noite.



DISCUTINDO O CARDÁPIO

Se você gostaria de tentar o sexo oral, mas não tem certeza de que seu cônjuge seja receptivo, existem duas opções. Primeiro, você pode levantar o assunto numa conversa gentil e amorosa: “Meu bem, eu queria muito tentar algo novo que agrade você. Que tal se eu começasse a beijar todo o seu corpo?”.

Se seu cônjuge recebe esse tipo de carinho, então pode ser que fique mais inclinado a dá-lo também.

Outra opção, embora você precise ser cuidadoso com esta, é avançar gradualmente para o sexo oral no calor da paixão. Mova-se para baixo dos seios de sua esposa, beijando sua barriga, depois talvez descendo para as pernas, seguindo devagar para a parte interna de suas coxas. Veja como ela reage. Ela demonstra desejar que você vá mais além ou está ficando desconfortável?

Não apresse nada e, se sua esposa estiver hesitante, pare imediatamente. A beleza da sexualidade entre os casados é que vocês têm a vida inteira para crescer, explorar-se mutuamente e desfrutar um do outro. Não há pressa para experimentar qualquer atividade. E pode ser que um dos parceiros nunca se disponha realmente a dar ou a receber o sexo oral. Também não há problema nisso. Existem muitas outras maneiras de um casal desfrutar a intimidade sexual ao mesmo tempo em que ainda experimenta uma variedade de atividades sexuais.

Para as mulheres que querem oferecer um tratamento especial para seu marido, vamos falar sobre fazer o “sr. Feliz” sorrir.



COMO FAZER O SR. FELIZ REALMENTE FELIZ

O Sr. Feliz gosta de ser beijado. Nada o deixa tão feliz como a carícia oral da esposa. Cada homem tem suas preferências, mas, de modo geral, todos seguem os parâmetros a seguir.

Provocação é legal — mas por cerca de dez segundos. Pequenas lambidas suaves ou uma passada gentil da língua podem ser muito excitantes, mas não demora muito tempo e o homem vai querer algo bem mais direto. Ele vai querer que você cubra o pênis inteiro com sua boca. Muitos homens dirão que quanto mais fundo, melhor.

Isso não quer dizer que, assim que tiver o pênis na boca, você não possa parar para respirar. Sinta-se livre para se afastar, lamber um pouco mais, soprar levemente e o que quiser, mas não espere muito tempo para voltar.

Aqui está uma coisa que muitas mulheres não percebem: a parte de baixo do pênis é mais sensível que a de cima. Uma lambida longa e exuberante ali, na fase da provocação, e seu marido vai agarrar o travesseiro e se contorcer de prazer.

Se isso é novo para você, a primeira pergunta que provavelmente desejará fazer é: “E os meus dentes?”. A resposta curta é: “Sim, os dentes machucam!”. Você deve colocar seus lábios acima deles e ser gentil — especialmente se usar aparelho.

A segunda pergunta que normalmente é feita é: “Estou fazendo do jeito certo?”. Ouça, você não está sendo avaliada por juízes olímpicos! “Eu lhe daria um 10, mas os dedos do pé não estavam curvados, de modo que lhe darei um 9,5.” Não se trata de estar certa ou errada, mas sim de seu marido estar ou não gostando. Para descobrir a resposta, você deve perguntar a ele, não a mim! Não se ofenda se, no início, ele disser: “Um pouco mais suave, mais devagar, um pouco mais forte...”. Ninguém nasceu com as habilidades de ser um bom amante, e você não precisa se envergonhar diante do fato de que precisa de mais prática.

Uma terceira pergunta invariavelmente tem a ver com o clímax. Para algumas mulheres, a ideia de engolir o produto da ejaculação é repugnante. Não há nada de natureza prejudicial em relação ao sêmen do homem, e a quantidade expelida durante a ejaculação é relativamente pequena. Mas se a ideia de prová-lo lhe é repulsiva, simplesmente tire a boca antes que seu marido atinja o orgasmo. Com o tempo, você será capaz de perceber esse momento por meio das contrações do pênis. Um marido cuidadoso também pode avisar a esposa se souber de sua relutância. Embora você possa afastar a boca, continue estimulando-o com sua mão; certamente será uma decepção para seu marido se você parar toda a estimulação exatamente no momento em que ele mais estiver gostando.

Às vezes o homem aprecia que a esposa faça contato visual enquanto o beija. Lembre-se de que os homens tendem a ser mais visuais. Se você não se importar de ter uma luz leve no quarto, ou até mesmo algumas velas, seu marido poderá gostar da visão tanto quanto gosta da sensação. Isso talvez exija que você segure seu cabelo para trás de modo que ele não funcione como uma cortina.

Embora normalmente nos refiramos a isso como “sexo oral” por falta de uma expressão melhor, não significa que apenas a língua precise estar envolvida. De fato, você pode aumentar muito o prazer de seu cônjuge ao trazer as mãos para a brincadeira. Se sua boca estiver cansada, você poderá fazer uma pequena pausa enquanto acaricia seu marido com as mãos. Ou pode usar a boca e as mãos juntas, acariciando seu marido nas partes mais íntimas enquanto lhe beija o corpo todo.

Algumas mulheres que aconselhei se surpreenderam com o fato de terem aprendido a gostar de praticar o sexo oral. Isso deixou de ser uma imposição para se tornar um prazer verdadeiro. Quando uma mulher demonstra desfrutar do prazer que dá ao marido, ela está lhe oferecendo um presente de intensidade rara. Nada excitará mais seu homem do que saber que você está excitada — particularmente enquanto você faz algo que o atiça.



COMO FAZER SUA ESPOSA MORDER O TRAVESSEIRO

Alguns homens podem se surpreender com o fato de que, quando uma mulher se masturba, quase todas elas estimulam o clitóris; relativamente poucas inserem algo na vagina.

O que isso revela? Que a parte mais estimulável da genitália feminina está do lado de fora. Não me entenda mal: as mulheres gostam da sensação de ter o pênis do marido dentro de si. Mas quando se trata de estimulação sexual, elas preferem ser acariciadas e esfregadas, mais do que penetradas.

Considere o seguinte: não há maneira mais suave ou gentil de estimular sua esposa do que com sua língua. Se ela realmente preferir ser acariciada, que outro instrumento mais hábil você possui do que sua língua?

Não consigo imaginar outra coisa!

Mesmo assim, algumas mulheres são tão hesitantes quanto a permitir que o marido faça sexo oral nelas quanto hesitam em fazer sexo oral no marido. “Posso entender o fato de ela não querer fazer isso em mim”, alguns maridos já me disseram, “mas por que ela não desejaria recebê-lo?”.

Tenha em mente que não existe ato mais fisicamente íntimo que você possa praticar com sua esposa do que o sexo oral. Aqueles políticos do passado que tentaram sugerir que sexo oral não é realmente “sexo” não enganaram ninguém; todos nós sabemos disso. A mulher fica tão vulnerável quanto poderia estar, e é possível que pense: “Ele vai achar isso nojento? E se eu tiver um cheiro ruim, ou um gosto ruim? Será que ele não está de fato odiando isso?”. Com pensamentos desse tipo, é difícil para algumas mulheres simplesmente se deitar de costas e desfrutar da experiência.

De fato, as mulheres com quem converso, na maioria, confessam que no início do casamento, elas não queriam que o marido fizesse sexo oral nelas e, quando isso por fim acontecia, elas tinham tanta vergonha que a prática não era algo particularmente agradável. Assim que superam essa dificuldade psicológica, essas mesmas mulheres passam a amar o sexo oral — quanto mais demorado, melhor. Mas isso é de fato uma dificuldade para muitas mulheres.

Por conta disso — mais uma vez, falando como psicólogo — esse é um dos exemplos no qual o prazer do marido é tão importante quanto o da esposa. Você se entrega a ela quando alivia esses temores ao garantir-lhe, verbalmente ou de outra forma, que isso é algo de que você gosta.

Para o bem dos dois, a esposa deve se banhar antes de ir para a cama. Se ela se sentir limpa, vai se constranger menos. Você, homem, vai seguir sem pressa para completar cada estágio. Embora você talvez não se importe que sua esposa o acorde com a boca em seu pênis, ela normalmente desejará que você comece devagar.

Beije-a atrás da orelha, vá descendo pelo pescoço, passe algum tempo em torno dos seios, não se esqueça daquele ponto adorável na parte de dentro do cotovelo e, de modo provocante, pule a parte do meio e vá direto para as pernas. Aquele ponto atrás do joelho pode deixar uma mulher louca se você souber lambê-lo do jeito certo. Esses lugares macios podem ganhar vida durante uma lenta sessão de amor. Ao mudar de direção, você pode descobrir que algo acontece quando beija gentilmente a parte interna das coxas de uma mulher que a faz deslizar para baixo! Se fizer isso do jeito certo, seguindo vagarosamente de volta ao norte, sua esposa estará praticamente (ou talvez literalmente, se você for sortudo) implorando que você a beije no lugar certo. Quando fizer que ela realmente deseje isso, e lhe der aquele beijo leve e sensual, poderá levá-la a começar a morder o travesseiro por medo de acordar as crianças.

Eis uma posição particularmente agradável para fazer isso: olhando para os pés dela, escorregue sua mão direita para baixo de sua esposa (debaixo das nádegas dela). Seus dedos estão logo ali, querendo fazer uma pequena dança na genitália dela, e sua boca tem pleno acesso às regiões vulneráveis; as bordas do clitóris e as dobras dos lábios estão todas ali para que seus dedos e sua língua trabalhem juntos.

Homens, tudo tem a ver com o clima e o tempo reservado para chegar lá. Se você deixar sua esposa no ponto, ela se esquecerá de onde está e se perderá no caminho por onde você a levar. Você se surpreenderá com o que uma professora de escola dominical faz e diz no calor de tal paixão. Quando sua esposa está excitada, toda essa área fica sensível. Não ignore nada, e varie os movimentos de sua língua. Você pode alternar lambidas, puxões carinhosos (com os lábios, nunca com os dentes!) e beijos. Acima de tudo, lembre-se deste mote: Gentilmente, homem, gentilmente. A reclamação mais comum nessa área é que o homem é muito bruto e acaba machucando sua esposa, em vez de lhe dar prazer. Isso é particularmente verdadeiro à medida que ele sente que sua esposa está esquentando e ele se deixa levar. Sua língua precisa ser insistente, mas leve. Preste atenção nas reações de sua esposa. Ela pode estar tensa demais para dizer “Ai!” (por não querer ferir seus sentimentos); portanto, verifique as indicações não verbais.

A propósito, não se esqueça das mãos. Deixe seus dedos tocarem qualquer lugar que sua língua não puder alcançar. A estimulação combinada pode fazer sua esposa estremecer. Estenda a mão e acaricie-lhe os seios, ou estimule o clitóris com os dedos enquanto lambe um pouco mais embaixo. Ou então, beije gentilmente seu clitóris com a boca enquanto penetra sua vagina com um ou dois dedos, talvez alcançando o ponto “dela”.

Tendo esboçado os possíveis prazeres do sexo oral, quero acrescentar que homens e mulheres não devem nunca, jamais forçar o parceiro a fazer qualquer coisa que este não queira. Lembre-se daquele versículo: “O amor não procura seus interesses”. Se o seu cônjuge — pela razão que for — considera o simples pensamento no sexo oral algo desagradável, detestável ou imoral, é errado de sua parte fazer que ele se sinta culpado ou pressioná-lo para que “ceda”.



ALGUNS PRAZERES DO SEXO ORAL

Se você já é hábil nas artes do sexo oral, aqui vão alguns “prazeres” especiais nos quais talvez não tenha pensado:



    Chupe algumas balas de sabor forte (como menta e eucalipto) antes de beijar seu parceiro, ou deixe uma pastilha para garganta na boca enquanto você dá conta do recado. O “mentol” na sua língua provocará uma sensação bastante prazerosa.
    Outra boa ideia é colocar uma xícara de chá quente perto da cama. Vá tomando pequenos goles. Isso não apenas faz seu parceiro ter um gosto bom, mas o calor extra da língua deixará seu cônjuge louco.
    Sussurre enquanto dá prazer a seu parceiro.
    Esposas, lembrem-se de que os homens são bastante visuais. Se puder deixar que seu marido veja o que você está fazendo, e talvez até prender o cabelo para cima, ele ficará muitíssimo agradecido. Um contato visual de vez em quando é um poderoso afrodisíaco!



Mal posso esperar pelas correspondências que receberei sobre este capítulo!

(Kevin Leman - Entre Lençóis)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D