Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




COOPERAR NA NÃO COOPERAÇÃO

por Thynus, em 24.04.17
Pense no seguinte cenário. Você se organizou para fazer uma compra secreta. Vai deixar algum dinheiro em uma pequena sacola no lugar indicado, enquanto a outra pessoa vai deixar a mercadoria numa sacola em outro lugar indicado. Obviamente os dois encaram algum risco: o outro poderia deixar uma sacola vazia e, apesar de os dois ficarem bastante satisfeitos se o outro cooperar, cada um ficaria ainda melhor se o outro cooperasse enquanto você o engana – porque aí você conseguiria a mercadoria de graça enquanto ele conseguiria o dinheiro sem precisar dar a mercadoria. Se você está tentando maximizar seus próprios ganhos, a pergunta é essa: deveria cooperar ou deveria enganar?
Bom, a pessoa racional (aparentemente) poderia pensar o seguinte. Só existem duas opções: ou a outra pessoa, o vendedor, vai deixar a mercadoria ou não vai. Se o vendedor deixar a mercadoria, então seria melhor não deixar o dinheiro, pois aí você receberia algo por nada. Mas se o vendedor não deixa a mercadoria, também seria melhor não deixar o dinheiro, porque você evitaria não conseguir nada por algo. De qualquer maneira é melhor enganar.
Mas, enquanto isso, claro, o vendedor também está pensando nessas coisas. Da perspectiva dele, só há duas opções: você, o comprador, ou vai deixar o dinheiro ou não. Se deixar o dinheiro então é melhor não deixar a mercadoria, porque assim ele ganhará dinheiro em troca de nada. Mas se você não deixar o dinheiro, também é melhor não deixar a mercadoria, porque assim ele evita não ganhar nada em troca de dar algo. De todas as formas, ele também está enganando melhor.
Assim, duas pessoas racionais acabaram de decidir que é melhor enganar o outro, resultando nos dois deixando (e assim encontrando) sacolas vazias nos locais indicados, recebendo nada em troca de nada – quando, claramente, seria melhor se eles tivessem cooperado e conseguido algo em troca de algo, que era o objetivo original.
Talvez não devêssemos ser tão racionais o tempo todo.
 

(Andrew Pessin - Filosofia em 60 segundos : expanda sua mente com um minuto por dia!)
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:11


Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

subscrever feeds