Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Imagine que os cientistas aperfeiçoem o teletransporte. Você pisa em uma máquina que rapidamente escaneia todas as moléculas no seu corpo e cérebro, depois desmonta, já que não são mais necessárias. A máquina envia, então, a informação escaneada por rádio para seu destino. Ali, a máquina receptora reconstitui seu corpo/cérebro a partir de seu próprio reservatório de moléculas. E lá está você, no seu destino.
Da sua perspectiva, você entra na máquina em um lugar, depois instantaneamente se encontra em outro lugar: digamos que seja Marte. É verdade que seu corpo agora está composto de moléculas diferentes, mas hoje, como já vimos, as moléculas do seu corpo estão constantemente mudando. O que importa não é quais moléculas são, mas como estão organizadas, e elas estão organizadas como você. Na verdade, você se teletransporta diariamente para seu emprego em Marte e não é pior por isso.
Mas agora imagine que uma manhã, depois que você partiu da Terra, Ted, o técnico, se esqueceu de apagar a informação que acabou de escanear de você. Quando ele ativa novamente a máquina, ela lê seu scan e reconstitui seu corpo/cérebro a partir das moléculas que tem guardado. Da sua perspectiva, claro, você se encontra a um piscar de olhos depois de entrar na máquina. Vê o rosto surpreso de Ted e diz: “Que tal apertar esse botão, companheiro?”
Mas espere – quem está falando tudo isso? Não é você: pois já está em Marte. Mas ao mesmo tempo é você. Poderíamos até imaginar que esse corpo acabou de ser constituído das mesmas moléculas desconstituídas de você um momento antes. Será que o cara em Marte é o impostor? Mas espere – se o cara teletransportado não é você, então teremos de dizer que você morreu há muito tempo, já que está sendo teletransportado diariamente desde que conseguiu o emprego em Marte. Portanto é melhor que seja você. Assim, quem está exigindo uma explicação de Ted não é você. A menos que seja?
Aí o monitor pisca com uma videochamada de Marte.
Seu rosto está na tela. “Ted, deixei minha…”
Fixa seus olhos. (Quero dizer os dele. Quero dizer os seus.)
“Quem é você?”, os dois falam simultaneamente.
 
 
(Andrew Pessin - Filosofia em 60 segundos : expanda sua mente com um minuto por dia!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:24



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D