Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




DE VOLTA PARA CASA

por Thynus, em 03.01.13
 
Aquilo de que você se apercebe como uma densa estrutura física chamada corpo, o qual está sujeito à doença, à velhice e à morte, não é, em última análise, real – não é quem você é. É uma percepção errónea da sua realidade essencial, que está para além do nascimento e da morte, e deve-se às limitações da sua mente, que, tendo perdido contacto com o Ser, cria o corpo como evidência da sua crença ilusória na separação e para justificar o seu estado de medo. Mas não volte as costas ao corpo, porque dentro desse símbolo de impermanência, de limitação e de morte, de que você se apercebe como uma criação ilusória da sua mente, oculta-se o esplendor da sua realidade essencial e imortal. Não dirija a sua atenção para mais lado nenhum na sua busca da Verdade, porque ela não se encontra senão dentro do seu próprio corpo.

Não lute contra o corpo, porque ao fazê-lo você está a lutar contra a sua própria realidade. Você é o seu corpo. O corpo visível e tangível é apenas um véu ténue e ilusório. Por debaixo dele fica o corpo interior invisível, a porta para o Ser, para a Vida Não Manifesta. Através do corpo interior, você está inseparavelmente ligado a essa Vida Única não manifesta – sem nascimento, sem morte, eternamente presente. Através do corpo interior, você é uno com Deus para sempre.

(Eckhart Tolle in "O poder do Agora")

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:06


Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

subscrever feeds