Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

É da praxe e de bom tom, renovarmos votos de FELICIDADES no início de Novo Ano. Mas o que é a felicidade? A felicidade está no TER ou no SER? A felicidade vem das coisas ou do coração? A felicidade está em "dar" ou no "dar-se"? A felicidade cai do céu de mão beijada, como num golpe de magia (ou num jogo de sorte ou azar), ou será uma conquista do coração, um sentido de vida que se vai configurando passo a passo?

“A felicidade do homem, hoje em dia, consiste em “divertir-se”. E divertir-se consiste na satisfação de consumir e “obter” artigos, panoramas, alimentos, bebidas, cigarros, gente, conferências, livros, fumes — tudo é consumido, engolido. O mundo é um grande objeto de nosso apetite, uma grande maçã, uma grande garrafa, um grande seio; somos os sugadores, os eternamente em expectativa, os esperançosos — e os eternamente decepcionados. Nosso caráter é engrenado para trocar e receber, para transacionar e consumir tudo, os objetos espirituais como os materiais, torna-se objeto de troca e de consumo.
A situação, no que refere ao amor, corresponde, como não pode deixar de ser, a esse caráter social do homem moderno, autômatos não podem amar; podem trocar seus “fardos de personalidade” e esperar um bom negócio.” (Erich Fromm, psicólogo – “A Arte de Amar”)

“Observadores indicam que cerca de metade dos bens cruciais para a felicidade humana não tem preço de mercado nem pode ser adquirida em lojas. Qualquer que seja a sua condição em matéria de dinheiro e crédito, você não vai encontrar num shopping o amor e a amizade, os prazeres da vida doméstica, a satisfação que vem de cuidar dos entes queridos ou de ajudar um vizinho em dificuldade, a auto-estima proveniente do trabalho bem-feito, a satisfação do "instinto de artífice" comum a todos nós, o reconhecimento, a simpatia e o respeito dos colegas de trabalho e outras pessoas a quem nos associamos; você não encontrará lá proteção contra as ameaças de desrespeito, desprezo, afronta e humilhação. Além disso, ganhar bastante dinheiro para adquirir esses bens que só podem ser obtidos em lojas é um ônus pesado sobre o tempo e a energia disponíveis para obter e usufruir bens não-comerciais e não-negociáveis como os que citamos acima. Pode facilmente ocorrer, e freqüentemente ocorre, de as perdas excederem os ganhos e de a capacidade da renda ampliada para gerar felicidade ser superada pela infelicidade causada pela redução do acesso aos bens que "o dinheiro não pode comprar.” (Zygmunt Bauman, sociólogo – “A Arte da Vida”)
Durante séculos fizémos todo o possível para não viver de amor. Deixámos esta escolha aos santos e aos loucos, aos poetas e aos utupistas precisamente para termos o direito de dizer-nos –consolando-nos ou exorcizando as nossas carências- que não é um tema tão importante para o cidadão comum. Antes de tudo deve estar o trabalho, o dinheiro, o poder, a guerra e a paz, a economia e a política, a família e o Estado, o indivíduo e a comunidade. Chegamos até a pensar que a felicidade pudesse ser vivida sem amor.

“Onde está o teu coração, aí está o teu tesouro!” Esta é a verdade do Evangelho e a razão de viver: só o amor é tempero e sentido de vida. Sem amor não existe felicidade. Toda a felicidade tem como base o amor, como estilisticamente escreveu Frei Betto, na entrada do ano 2000, em mensagem intitulada
"FELIZ ANO-NOVO AOS CORAÇÕES VELHOS!":

* Feliz ano-novo aos que praguejam o solo árido de suas vidas sem garimpar alegrias, e aos que amarram o espírito em teias de aranha sem dar conta de que os dias tecem destinos. Também aos que desaprenderam o sorriso ao olvido da criança que neles residia.

* Feliz ano-novo aos que perambulam às margens da memória e semeiam ódio no quintal da amargura, guardam dinheiro na barriga da alma e penhoram a felicidade em troca de ambições; são náufragos de lágrimas, cegos aos arquipélagos da esperança e fantasiam de asas as suas garras, voejando em torno do próprio ego.

* Feliz ano-novo aos que sonegam carinho e ainda cobram atenção, são alpinista da prepotência que os conduz ao abismo; àqueles que, alheios ao que se passa em volta, ilham-se na indiferença enquanto o mar arde em fogo; e à que gasta saliva tentando se justificar por se disfarçar em pomba e agir como raposa.

* Feliz ano-novo aos que escondem o sol no armário, sopram a luz das estrelas e põem espessas cortinas no limiar do horizonte. Aos que nunca tiveram tempo para a dança, ignoram por que os pássaros cantam e jamais escutaram um rumor de anjos.

* Feliz ano-novo aos que bordam iras com agulhas afiadas, sequestram dignidades e, como os colecionadores de borboletas sentem prazer em espetá-las no interior das cavernas obscuras.

* Feliz ano novo aos faquires de angústias e aos que, equilibrados num fio de sal, trafegam por cima de montanhas de açúcar. Também aos que jamais dobram os joelhos em reverência aos céus e acreditam que a história do Universo tem início e fim neles.

* Feliz ano-novo às mulheres que destilam antigos amores em cápsula de veneno e aos homens que, ao partir, mostram nas costas, a face diabólica que traziam mascarada sob juras de amor.

* Feliz ano-novo aos jovens enfermos de velhice precoce e aos velhos que, travestidos de adolescentes, bailam aos desafinados acordes do ridículo. E aos que atravessam o tempo sem se livrar de bagagens inúteis e ainda sonham em ingressar numa nova era sem tornar carne o coração de pedra.

* Feliz ano-novo aos que já sabem conjugar os verbos no plural; agendam sentimentos e estão sempre atrasados na vida; mendigam admiração e prostituem-se diante da sedução do poder.

* Feliz ano-novo àqueles que dão "mau-dia" ao acordar, afogam em trevas interiores a alegria que lhes resta, encaram a vida como madrasta de história infantil. E aos que julgam que laços de família se cortam com a ponta afiada da língua e ignoram que o sangue escreve letras indeléveis.

* Feliz ano-novo aos que se apegam ao poder como fuligem ao lixo, infantilizados pela mesuras, prenhes de mentiras ao agrado do ouvido alheio, solícitos às providências que assassinam a ética. Sejam também felizes os que tentam corromper os filhos com agrados materiais e nunca dispõem de tempo para olhá-los nos olhos do coração.

* Feliz ano-novo aos navegantes cibernéticos,, mariposas de nações fragmentadas, amantes virtuais que se entregam afoitos ao onanismo eletrônico, digitando a sua própria solidão.

* Feliz ano-novo aos poetas que não sabem tragar emoções e engolem com ira palavras que trariam vida ao mundo. E aos que abominam a arte por desconhecerem que o ser humano é modelado em barro e sopro.

* Feliz ano-novo aos que temem a felicidade ou consideram, equivocadamente que ela resulta da soma dos prazeres. E aos que enchem a boca de princípios e se retraem, horrorizados, diante do semelhante que lhe é diferente.

* Feliz ano-novo às mulheres que se embelezam por fora e colecionam vampiros e escorpiões nos lúgubres porões do espírito. E aos homens que malham o corpo enquanto definha a inteligência, trangênicos prometeus acorrentados ao feixe dos próprios músculos.

* Feliz-ano novo a todos os infelizes, aos que se julgam cegos às infinitas possibilidades da luz e das rotas. Sejam todos agraciados pela embriaguez da alegria divina ao Deus que os habita e ao amor que, como um rio cristalino, jamais nega água a quem se ajoelha, reverencia o milagre da vida e aprende a beber do próprio poço.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 05:52



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D