Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A paixão secreta do Inquisidor

por Thynus, em 06.12.10
Espanha, Logroño, 1610. As mulheres estão em linha e avançam rumo ao cadafalso agitando-se entre a multidão exaltada. O auto-de-fé foi iniciado, o fogo está prestes a ser ateado: são condenadas à morte acusadas de feitiçaria e nada as poderá salvar. Este é apenas um entre milhares de processos, mais uma entre milhares de condenações: são muitos meses desde que todo o País Basco está dobrado pela caça às bruxas e pelas estreitas malhas da Suprema Inquisição. O aparecimento do cadáver de uma mulher, encontrado no rio perto de San Sebastian, é apenas a evidência mais recente de que as seitas diabólicas não foram ainda irradicadas. No entanto, apesar de que tudo pareça indicar que se trata de um crime cometido por seguidores do diabo, o inquisidor Salazar, em missão no País Basco, em nome do arcebispo de Toledo, tem as suas dúvidas. Salazar aprendeu a desconfiar de tudo, perdeu a fé em Deus e nem acredita no diabo nem nas bruxas. De aldeia em aldeia, recebeu centenas de confissões, mas percebeu que é difícil, se não impossível, discernir entre a verdade e a loucura coletiva induzida pelo medo. O seu caminho é destinado a cruzar-se com o de Mayo, menina de dezesseis anos, especialista em ervas e feitiços. A garota está em busca da mulher que a criou e educou, Ederra, curandeira maravilhosa que, depois de ser condenada à morte por bruxaria, desapareceu no nada. Para encontrá-la vai lutar contra preconceitos e traições, solidão e fome, injustiças e doenças, mas especialmente deverá acompanhar Salazar passo a passo, porque a estrada do inquisidor é também a sua.
Misturando habilmente ficção narrativa e um registro histórico perfeito, Nerea escreveu um romance histórico memorável onde amor e aventura, feitiços e magia, intrigas políticas e religiosas se entrelaçam no contexto de um século duro e sangrento marcado pela feroz Inquisição espanhola.
Nerea Riesco, basca de nascimento, vive actualmente em Sevilha. Jornalista de formação, é cronista no El País, dá aulas de Rádio na Faculdade de Comunicação de Sevilha, é professora de Escrita Criativa na Academia Arteaula e participa ainda na locução/produção de programas de rádio árabes-espanhóis.
Publicou a sua primeira obra, Ladrona de almas, em 2002; dois anos mais tarde, o seu romance El País de Las Mariposas destacou-a entre as jovens promessas da literatura em língua castelhana, tendo ganho o IX Premio Ateneo Joven de Novela de Sevilha. A Paixão Secreta do Inquisidor, o seu último romance, veio consolidar a sua carreira e encontra-se já editado em várias línguas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D