Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Vida Interior

por Thynus, em 05.12.10
Muitos homens e mulheres vivem uma vida onde morreu a alegria, o gozo, o mistério. Para eles, tudo é cinzento e penoso. O fogo da vida apagou-se.Já não têm grandes aspirações. Contentam-se com não pensar muito, não esperar demasiado. São incapazes de viver de maneira fervente. A sua vida transcorre de modo trivial e cansado. Donde procede esse cansaço e essa tristeza? Em primeiro lugar, de pequenas causas: demasiado trabalho, insegurança, sentimento de culpa, solidão, medo da doença, decepções, desejos impossíveis... A vida está cheia de problemas, pequenas frustrações, contrariedades que rompem a nossa segurança e pequena felicidade. Mas, se aprofundarmos mais na verdadeira raiz dessa tristeza que parece envolver e penetrar muitas existências, descobriremos que no interior dessas vidas apenas há solidão e vazio. Quando uma pessoa não tem nada dentro de si, necessita procurar fora algo que o ajude a viver. Quando a pessoa não vive nada importante, necessita de dar-se importância e, se os outros não lha dão, afunda-se na frustração. Quando a pessoa não vive nenhuma experiência gozosa no seu interior, necessita que alguém a estimule desde fora e, se não encontra esse estímulo, fica triste e sem vida. Há na nossa sociedade uma tendência a considerar como uma ilusão «o que brota do coração». O mundo interior é substituído por aquilo que está fora, as coisas ao nosso alcance, os objectos a possuir. Mas, quando não se tem vida interior, as coisas aborrecem, as conversas convertem-se em fofoca sem substância, uma torrente de palavras sem demasiado conteúdo. Com o passar do tempo, tudo se vai tornando monótono, cinzento, aborrecido. A alegria só se descobre quando se vive a vida desde dentro. Quando o homem se deixa habitar pelo mistério. Quando se abre a todo o chamamento que o convida ao amor, à adoração, à fé.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D