Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A interpretação da postura

por Thynus, em 23.05.13

 

 

 

Para a maioria de nós, a postura é um tema pouco agradável sobre a maneira como nossa mãe costumava nos repreender. Mas para um psicanalista a postura d e um paciente muitas vezes constitui uma chave primordial sobre a natureza de seus problemas.

 

A postura é a chave não verbal mais fácil de descobrir, e observá-la pode ser muito interessante.

 

Com surpreendente freqüência, as pessoas imitam as atitudes corporais de outras. Dois amigos se sentam exatamente da mesma maneira, a perna direita cruzada sobre a esquerda, por exemplo, e as mãos entrelaçadas atrás da cabeça; ou um deles o faz ao contrário, a perna esquerda cruzada sobre a direita, como se fosse uma imagem refletida em um espelho. Denomina-se a esse fenômeno posturas congruentes. Acredita-se que duas pessoas que compartilham um mesmo ponto de vista, acabam compartilhando também uma mesma postura. Estudar a postura das pessoas durante uma discussão é extremamente interessante, já que muitas vezes poderemos detectar quem está a favor de quem, antes de que cada um fale.

 

Observou-se que as pessoas que não se conhecem evitam cuidadosamente adotar as mesmas posições. A importância da imitação pode chegar a ser uma das lições mais significativas que podemos aprender, pois é a forma com que outros nos expressam que coincidem conosco ou que lhes agradamos. Também é a forma com que comunicamos aos outros que realmente nos agradam.

 

Se um chefe deseja estabelecer rapidamente uma boa relação e criar um ambiente tranqüilo com um empregado, basta copiar a postura deste para obter seus objetivos.

 

Da mesma maneira que as posturas congruentes expressam acordo, as não congruentes podem s er utilizadas para estabelecer distâncias psicológicas.

 

Ao ver um casal de jovens sentados um ao lado do outro em um sofá. A garota está olhando para o moço, que está sentado olhando para fora, os braços e as pernas como formando uma barreira entre ambos e este permanece sentado assim durante oito longos minutos e só de tempos em tempos vira a cabeça para a garota para falar com ela. Ao término desse tempo entra outra jovem no local e o moço fica de pé e sai com ela; mediante sua postura tinha estabelecido que a garota que estava sentada a seu lado não era seu par.

 

Algumas vezes, quando as pessoas se vêem forçadas a sentar-se muito juntas, inconscientemente desdobram seus braços e pernas como barreiras. Dois homens sentados muito juntos em um sofá girarão o corpo levemente e cruzarão as pernas de dentro para fora, ou porão uma mão ou um braço para proteger o lado comum do rosto.

 

Um homem e uma mulher sentados frente a frente a uma distância muito próxima, cruzarão os braços e talvez as pernas, e se virarão para trás em seus assentos.

 

A postura não é somente uma chave sobre o caráter, é também uma expressão da atitude. Com efeito, muitos dos estudos psicológicos que se tem feito sobre a postura, a analisam segundo o que revela a respeito dos sentimentos de um indivíduo com respeito às pessoas que o rodeiam. Um investigador observou que quando um homem se inclina levemente para frente,com as costas um pouco encurvadas, provavelmente simpatiza com a pessoa que está com ele. A postura é, como já dissemos, o elemento mais fácil de observar e de interpretar de todo o comportamento não verbal. De certo modo, é preocupante saber que alguns movimentos corporais que tínhamos por arbitrários são tão circunscritos, previsíveis e às vezes, reveladores; mas por outra parte, é muito agradável saber que todo nosso corpo responde continuamente ao desenvolvimento de qualquer encontro humano. Por exemplo, os vendedores, em casas de casais casados devem observar os gestos dos cônjuges para ver quem os inicia e quem os copia. Se o marido for o que mantém a conversação e a mulher não diz nada, mas você observa que ele copia os gestos da mulher, descobrirá que é ela quem decide e assina os cheques, assim, convém ao vendedor dirigir sua conversa à senhora.

 

 

(Barbara e Allan Pease "Desvendando os Segredos da Linguagem Corporal")

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:57



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D