Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Fraude Piedosa

por Thynus, em 05.12.10
Se a falsificação de conceitos agrícolas, solares, judaicos, e de qualquer outro, não somente foi parte da essência do Cristianismo e provavelmente uma das razões de seu êxito, posteriormente esta falsificação chegou a ser, durante muitos séculos, totalmente desenfreada, tão comum de facto que uma nova frase foi canonizada para descrevê-la: "fraude piedosa". Com total desfaçatez esta tergiversação é admitida em várias ocasiões na enciclopédia católica. Alguns dos que posteriormente foram exaltados como "grandes" padres da Igreja, foram acusados por seus pares de mentirosos descarados por "documentar" factos e conversações de Jesus que eram exclusivamente produtos de sua "fértil" imaginação, para não dizer de sua loucura. De facto, João de Medici (Papa Leão X,1513-1521), homossexual e grande estudioso dos arquivos secretos do Vaticano, observou divertido: "Quantum nobis prodest haec fabula Christi" ("Quantos benefícios nos deu esta fábula de Cristo!"). Já muito antes, o padre da igreja primitiva Tertuliano ( 160-220 d.C.), um converso e bispo de Cartago, admitiu ironicamente as origens da fábula contestando os seus críticos: "Vocês nos acusam de adorar o sol; sim, tanto como vocês" . Esta fraude foi política oficial da Igreja e faz parte do juramento (sic) dos jesuítas.

"Repeti tudo o que pudesse servir à glória, e suprimi tudo o que pudesse ajudar ao desprestígio da nossa religião." (Eusébio, Padre da Igreja)

"Nós católicos podemos mentir e dizer que somos protestantes quando estivermos entre os protestantes, ou podemos mentir estando entre os huguenotes e dizer que somos huguenotes; e se o desejamos, podemos cair tão baixo como para dizer que somos judeus enquanto estivermos entre judeus, se a nossa mentira beneficiar a Igreja Católica." (Juramento jesuíta)

"Nós católicos] temos também a obrigação de manter fielmente os segredos. E às vezes a maneira mais fácil de cumprir com esse dever é dizer o que é falso, ou uma mentira." (Encíclica Católica X).

Como é fácil de ver, a Igreja de Roma sempre viveu de Bulas e nunca menosprezou as burlas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D