Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Amor líquido

por Thynus, em 21.07.11

A precariedade caracteriza a sociedade moderna em todos os seus aspectos, incluindo o amor e as relações humanas em geral. Com o conceito de liquidez, como contrário de solidez, Zygmunt Bauman define o contexto de incerteza e de constante decaimento em que vivemos.
"A solidão cria insegurança, mas também torna o relacionamento sentimental. Numa relação, podes sentir-te inseguro como estarias sem ela, ou pior. Mudam apenas os nomes que dás à tua ansiedade." Os personagens deste livro são os homens e mulheres nossos contemporâneos, e que anseiam pela segurança da agregação e de uma mão com que poder contar em momentos de necessidade. No entanto, são os mesmos que têm
medo de ficar ancorados em relações estáveis e temem que uma estreita ligaçãocomporte encargos que não querem nem pensam que podem suportar.
A liquidez nas relações humanas tem um sentido inverso da liquidez da conta bancária: se eu tenho no banco uma conta bem recheada, disponho de uma boa liquidez, um atributo potencializador do meu crédito. Para Bauman a liquidez das relações humanas é uma sensação de bolsos vazios, o vazio das relações sociais.
Uma das característicvas mais impressionantes da atual fase da modernidade é que não há nada sólido. A liquidez, entendida como processo contínuo de decomposição, parece ser o ícone móvel do mundo globalizado. Zygmunt Bauman, um dos maiores sociólogos vivos, cunhou a metáfora da liquidez num famoso livro há alguns anos, “Modernidade Líquida”; e agora está nas livrarias “Amor líquido”, que é uma espécie de continuação e desenvolvimento do discurso sobre a sociedade líquido-moderna. Este ensaio aborda a questão da precariedade da existência e a desintegração dos laços entre os indivíduos, mas também muitas outras questões. Bauman diz-nos que estamos vivendo uma nova fase da modernidade dedicada ao princípio da sobrevivência, que afasta a confiança, a compaixão, a piedade, e prelúdio para um abismo de perdas e vertigens, onde homens e mulheres encontram-se divididos entre o vazio exterior e o vazio interior. Não há "gaiola de ferro" que reja; a modernidade líquida é pervasiva, viscosa, penetrante e desintegra tudo o que toca. Corrói a solidariedade humana, “a primeira vítima dos triunfos do mercado consumidor." E é o consumismo, isto é, o ritmo da sucessão de compras, que transforma geneticamente o “homo faber” da fase sólida da modernidade no “homo consumans” da fase líquida; este último, desorientado por milhares milhares de cartazes na estrada e cooptado pelas mensagens que correm freneticamente no visor do telemóvel (celular), é "o único ponto estável no universo de objetos em movimento." O resultado deste processo é preocupante, pois intensifica a atomização social e gera novas formas de individualismo e de xenofobia, mas o fenômeno mais grave é a expropriação do agir em comum dobrado cada vez mais "sobre coisas que estão à mão, sobre questões locais e relações circunscritas". Bauman, também neste ensaio, que que se desenrola em volta de quatro capítulos (Inamorar-se e desinamorar-se, Dentro e fora da caixa de ferramentas de sociabilidade, Sobre a dificuldade de amar o nosso próximo, Agregação desmontada) aponta os perigos crescentes da sociedade líquido-moderna, que
se redefine como um depósito enorme de lixo que invade o nosso mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:33



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D