Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Gnosticismo

por Thynus, em 05.12.10

Gnosticismo (Gr. gnosis,"conhecimento revelado" movimento religioso esotérico que floresceu durante os séculos II e III. A maioria das seitas gnósticas professavam o cristianismo, mas as suas crenças eram diferentes das da maioria das seitas cristãs existentes nos primeiros tempos da Igreja. Para os seus seguidores o gnosticismo prometia um conhecimento secreto do reino divino. Raios ou sementes do Ser Divino caíram desde este reino transcendental até ao universo material, que é mau na sua totalidade, e foram encarceradas nos corpos humanos. O conhecimento poderia voltar a despertar esses elementos divinos que deste modo voltariam a sua própria casa no reino espiritual. Apesar de muitos gnósticos se considerarem a si mesmos cristãos, estes se negavam a identificar o Deus do Novo Testamento como Pai de Cristo, com o Deus do Antigo Testamento, e elaboraram as suas próprias interpretações; assim escreveram evangelhos apócrifos (como os evangelhos de Tomé e de Maria) para justificar a sua afirmação de que Jesus expôs a seus discípulos a verdadeira interpretação gnóstica de seus ensinamentos: Cristo, o espírito divino, habitou o corpo do homem Jesus mas não morreu na cruz, mas ascendeu ao reino divino do qual tinha vindo. Os gnósticos recusavam assim o sofrimento, a morte expiatória de Jesus assim como a ressurreição do corpo terreno. Apesar das seitas antigas não terem sobrevivido, periodicamente reapareceram aspectos do mundo gnóstico sob numerosas formas: a antiga religião dualista chamada maniqueísmo e as "heresias" medievais dos albigenses, os bogomilos e os paulicianos; a filosofia judia mística medieval conhecida como a cabala; a especulação mística em torno da alquimia do renascimento; a teosofia do século XIX; o existencialismo e o niilismo do século XX, e os escritos do psicólogo suíço do século XX, Jung. a essência do gnosticismo mostrou ser muito perdurável: a ideia de que o espírito interior da humanidade tem que ser libertado de um mundo que é por sua própria natureza enganoso, opressivo e mau.

É interessante a razão porque recusaram o Deus judeu, já que estava baseado num facto erróneo somente reflectido na Septuaginta: a introdução do mito mesopotâmico de Adão, Eva e a maçã. Consideravam que um Deus que depois de ter criado o ser humano como racional e inteligente, lhe negava o uso de sua inteligência, de sua humanidade, e o condenava ao sofrimento eterno devido ao "pecado original" - ou seja por ser humano - não era Deus mas o mesmíssimo Satanás. (sic)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:39



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D