Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O mito grego da criação do homem

por Thynus, em 06.12.10
As religiões monoteístas expulsaram os deuses pela porta da frente com muito barulho, para em seguida aceitá-los de volta pela janela lateral. O cristianismo, por exemplo, desenvolveu seu próprio panteão de santos, cujos cultos pouco diferiam dos cultos aos deuses politeístas.
 


Nos tempos antigos, na terra havia apenas deuses imortais.
Zeus, deus grego supremo do Olimpo, que era filho e sucessor de Kronos, a quem usurpou a liderança depois de sucessivas vitórias, representava o poder e a ordem cósmica, mas, no entanto, estava sujeito ao Hades, seu filho, que foi salvo por sua mãe Réia de ser devorado por seu pai.
Hades é o símbolo do destino e da fatalidade, e para os antigos filósofos representa a ordem e o número de casos acorrentados uns aos outros que, necessariamente, produzem um efeito.
Neste mundo de apenas deuses imortais, os deuses quiseram criar seres para povoar a terra.
Tendo decidido sobre essa idéia, Zeus encarregou os filhos do titã Jápeto, que dotaram de graças e forças as criaturas terrenas. Foi Epimeteu, que pediu a seu irmão Prometeu, que o deixasse distribuir os dons entre os seres terrestres.
Epimeteu deu a cada animal um dom: a beleza a um, a outro o poder, a outra a velocidade, a outro a corpulência, a outro a sagacidade, etc., segundo um critério de conveniência.
Carecendo da sabedoria de seu irmão Prometeu, deu presentes a todos os animais deixando o homem para o último, ficando assim o ser humano nu, indefeso e desarmado.
Foi então que Prometeu, o amigo do homem, vendo a injustiça que foi cometida, tentando corrigir o erro e roubando a sabedoria de Atena, concedeu ao homem a lógica.
Prometeu tomou o gênero humano sob sua protecção e roubou o fogo de Hefesto oferecendo-o ao homem para se aquecer e poder viver melhor, e lhe ensinou tudo o que sabia.
Mas Zeus, quando soube dos dons concedidos ao homem, que lhe permitiam se assemelhar aos deuses, cheio de raiva, arremessou raios e relâmpagos e puniu severamente Prometeu encarcerando-o no monte Cáucaso, nos limites do Universo.
Ali, todas as manhãs, uma águia roia-lhe o fígado, que de noite voltava-lhe a crescer para ser comido novamente no dia seguinte.
Trinta anos depois, Hércules libertou Prometeu de sofrimento tão cruel.
Hefesto, deus do fogo, modelou em sua oficina a primeira mulher, que foi inicialmente uma estátua de metal.
Como era muito bonita, Zeus decidiu dar-lhe vida e um dos deuses a agraciou com os dons da beleza, da graça, da inteligência, da capacidade e poder de persuasão.
Mas Hermes também a dotou de astúcia e de falsidade e Hera de curiosidade, inquietação que não iria dar paz à mulher em algum momento.
Zeus enviou Pandora a Epimeteu como um presente, que, enfeitiçado por sua beleza, decidiu unir-se a ela imediatamente.
Como presente de casamento ofereceu a ambos uma linda caixa decorada com ouro e pedras preciosas.
A caixa estava fechada, mas dando a chave a Pandora Zeus advertiu-a que, se quisessem viver felizes para sempre, não deveriam abria a caixa.
Epimeteu e Pandora viveram felizes por muitos anos uma vida idílica e eles e seus descendentes alheios a qualquer tipo de problemas, felizes como os deuses, sem dor, sem preocupações ou velhice que os ameaçasse.
Mantinham-se sempre jovens, se divertindo e vivendo permanentemente dos frutos da terra sem matar qualquer ser vivo para sobreviver.
Não havia furtos ou crimes e, quando se cansavam de tanto viver, se deitavam sob uma árvore e lá dormiam o sono dos deuses.
Então, uma suave brisa levava-os para um lugar ainda mais tranquilo e mágico.
Mas um dia, a curiosidade foi mais forte e Pandora abriu a caixa e foi assim que surgiram os infortúnios e os males deste mundo, como doenças, tristezas, dores e outras desgraças.
A esperança foi a última a surgir sob a forma de um pequeno pássaro e como um símbolo de conforto para a humanidade.

 

======@======
QUALQUER SEMELHANÇA ENTRE O MITO GREGO DA CRIAÇÃO DO HOMEM E O MITO DE ADÃO E EVA NO LIVRO DO GÉNESIS SERÁ MERA COINCIDÊNCIA?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D