Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O relato bíblico sobre a origem humana possui duas versões diferentes no livro da Gênese. Numa delas, Deus criou o mundo em seis dias, descansando no sétimo. Os humanos foram criados no sexto dia, coroando a obra da Criação. É dito que Deus criou os humanos ”à sua imagem e semelhança”, abençoou-os e lhes disse: ”Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a”. Nesse relato, nada sugere nem prepara o pecado original, pois se este estiver relacionado com a descoberta do sexo, o relato narra que Deus fez os humanos fecundos e, portanto, abençoou a sexualidade; e se o pecado for o desejo de dominar o mundo, também não aparece no relato, visto que Deus disse aos humanos que submetessem a terra e tudo que nela existe, dando-lhes poder. Os que redigiram esse relato, ao que consta, segundo os estudos bíblicos, também redigiram a narrativa do Dilúvio e a iniciam dizendo que Deus olhou a terra e a viu toda pervertida, sem que houvesse explicação para o fato. Tanto assim que, desgostoso, prepara-se para destruir sua obra, só não o fazendo integralmente em decorrência dos rogos de Noé. Curiosamente, as perversidades e perversões vistas por Deus são todas sexuais.
Em contrapartida, o segundo relato, feito no mesmo livro, mas, ao que parece, escrito por autores que possuíam uma perspectiva messiânica, isto é, de que o povo de Deus, ainda que perdendo o rumo certo, seria salvo pelo Enviado Divino (Messias), está centrado no advento do pecado original. É o relato mais conhecido: Deus faz o primeiro homem (Adão) modelando-o no barro, faz a primeira mulher (Eva) retirando uma costela do homem, oferece-lhes o jardim do Éden para que dele vivessem, dá-lhes o direito de comer o fruto da árvore da vida (da imortalidade) e os proíbe de comer o fruto da árvore do bem e do mal (prova da inocência originária, pois inocente (não ciente) é aquele que desconhece o bem e o mal, sendo naturalmente bom).

Tanto assim, narra o autor bíblico, que estavam nus e não se envergonhavam. Adão e Eva são sexuados, pois Adão afirma não haver maior alegria e delícia do que homem e mulher se tornarem ”uma só carne”. Afirmação que será transformada num dos mais belos trechos do poema Paraíso Perdido, escrito pelo poeta inglês Milton.
A questão que os dois relatos bíblicos nos deixam é a seguinte: se Deus fez os humanos sexuados, se o prazer sexual existe no Paraíso como uma de suas delícias (talvez a maior), como entender a condenação do sexo pelo cristianismo? Para tentar respondê-la, examinemos o pecado original.
O pecado original possui duas faces: é o deixar-se seduzir (tentação) pela promessa de bens maiores do que os possuídos (como se houvesse alguém mais potente do que Deus para distribuí-los) e é transgressão de um interdito concernente ao conhecimento do bem e do mal. Seu primeiro efeito: a descoberta da nudez e o sentimento da vergonha, de um lado, e o medo do castigo, de outro. Seu segundo efeito: a perda do Paraíso.


(Marilena Chaui – “Repressão Sexual”)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:44



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D